Executivo encorajado a reforçar acções em prol da mulher

  • Mulheres das zonas rurais em formação
Luanda – O MPLA encorajou, nesta segunda-feira, o Executivo a manter a salvaguarda dos direitos, garantias e liberdades constitucionais da mulher angolana e a velar pelo seu empoderamento, para melhorar a qualidade de vida das suas famílias e comunidades.

Em mensagem alusiva ao 8 de Março, Dia Internacional da Mulher, o MPLA exorta "as forças vivas" da nação no sentido de transformarem a “Jornada Março Mulher” em plataforma política de promoção da estabilidade social, de reforço da unidade nacional e de consolidação da democracia.

Enaltece a história de luta das mulheres pelos seus direitos e pelas conquistas alcançadas em todos os domínios da vida política, económica, social e cultural.

Apesar do progresso a nível dos direitos humanos e valorização do papel das mulheres na sociedade, o MPLA reconhece que ainda há muito por fazer no sentido da edificação de um mundo pleno de igualdade de género e humanamente melhor e mais solidário.

Aproveita o ensejo para honrar a coragem e determinação das mulheres angolanas na participação na luta armada para a independência de Angola e no processo de consolidação do Estado Democrático de Direito, conquistando, por mérito próprio, espaços nas instituições nacionais e internacionais.

Por seu turno, a UNITA destaca a luta das mulheres pela dignidade e igualdade de oportunidades em todas as variantes da vida social, e exorta as mulheres angolanas - como mães, esposas e sobretudo educadoras - a um maior engajamento no combate às más práticas sociais, morais e éticas.

Apela-as ainda a participar activamente na luta contra a Covid-19, por meio da mobilização de toda a sociedade para a vacinação, bem como no cumprimento das medidas decretadas pelas autoridades sanitárias do país.

A Organização das Nações Unidas oficializou o 8 de Março como o Dia Internacional da Mulher em 1975. A data serve como consciencialização para a luta contra as desigualdades de género em todas as sociedades.

Em mensagem alusiva ao 8 de Março, Dia Internacional da Mulher, o MPLA exorta "as forças vivas" da nação no sentido de transformarem a “Jornada Março Mulher” em plataforma política de promoção da estabilidade social, de reforço da unidade nacional e de consolidação da democracia.

Enaltece a história de luta das mulheres pelos seus direitos e pelas conquistas alcançadas em todos os domínios da vida política, económica, social e cultural.

Apesar do progresso a nível dos direitos humanos e valorização do papel das mulheres na sociedade, o MPLA reconhece que ainda há muito por fazer no sentido da edificação de um mundo pleno de igualdade de género e humanamente melhor e mais solidário.

Aproveita o ensejo para honrar a coragem e determinação das mulheres angolanas na participação na luta armada para a independência de Angola e no processo de consolidação do Estado Democrático de Direito, conquistando, por mérito próprio, espaços nas instituições nacionais e internacionais.

Por seu turno, a UNITA destaca a luta das mulheres pela dignidade e igualdade de oportunidades em todas as variantes da vida social, e exorta as mulheres angolanas - como mães, esposas e sobretudo educadoras - a um maior engajamento no combate às más práticas sociais, morais e éticas.

Apela-as ainda a participar activamente na luta contra a Covid-19, por meio da mobilização de toda a sociedade para a vacinação, bem como no cumprimento das medidas decretadas pelas autoridades sanitárias do país.

A Organização das Nações Unidas oficializou o 8 de Março como o Dia Internacional da Mulher em 1975. A data serve como consciencialização para a luta contra as desigualdades de género em todas as sociedades.