Protecção Civil aponta 24 mortes causadas pela chuva em Luanda

  • Consequências das chuvas dificulta mobilidade urbana em Luanda
Luanda - O número de mortos da chuva, que caiu em Luanda, na manhã de segunda-feira, subiu de 14 para 24, segundo a Comissão Provincial de Protecção Civil e Bombeiros.

O documento distribuido nesta quarta-feira à imprensa informa que o município de Cacuaco registou dez mortes, Luanda cinco, Viana, Cazenga e Kilamba Kiaxi, três cada um.

Dados disponíveis indicam que as chuvas, que duraram cerca de sete horas, provocaram 24 mortos, dois feridos, 2.289 residências inundadas e 2.344 famílias desalojadas.

A chuva, que começou às  5h00 da  manhã, danificou ainda pontes, derrube de árvores e o transbordo de várias bacias de retenção.

O número de feridos subiu de dois para três 

Consta também do comunicado, apresentado depois da reunião de balanço orientada pela governadora de Luanda, Joana Lina, na qualidade de coordenadora da referida Comissão, 14 escolas inundadas e duas pontes destruídas parcialmente.

Segundo a nota, são também consequências da chuva, a inundação de quatros centros de saúde, o mesmo número de pontes, a queda de 58 árvores e o transbordo de nove bacias de retenção.

O documento distribuido nesta quarta-feira à imprensa informa que o município de Cacuaco registou dez mortes, Luanda cinco, Viana, Cazenga e Kilamba Kiaxi, três cada um.

Dados disponíveis indicam que as chuvas, que duraram cerca de sete horas, provocaram 24 mortos, dois feridos, 2.289 residências inundadas e 2.344 famílias desalojadas.

A chuva, que começou às  5h00 da  manhã, danificou ainda pontes, derrube de árvores e o transbordo de várias bacias de retenção.

O número de feridos subiu de dois para três 

Consta também do comunicado, apresentado depois da reunião de balanço orientada pela governadora de Luanda, Joana Lina, na qualidade de coordenadora da referida Comissão, 14 escolas inundadas e duas pontes destruídas parcialmente.

Segundo a nota, são também consequências da chuva, a inundação de quatros centros de saúde, o mesmo número de pontes, a queda de 58 árvores e o transbordo de nove bacias de retenção.