Número de vítimas do temporal sobe para oito

  • Consequências das chuvas dificulta mobilidade urbana em Luanda
Luanda – O número de vítimas mortais em consequência do temporal que se registou das 05h00 às 13h00 desta segunda-feira em Luanda subiu de quatro para oito pessoas, de acordo com o Serviço  Nacional de Protecção Civil e Bombeiros.

Três mortes foram por electrocussão, no Kilamba Kiaxi, nas imediações do Hospital Sanatório, onde mãe e filha faleceram, e no municipio de Luanda, envolvendo um cidadão estrangeiro.

O porta-voz do Serviço  Nacional de Protecção Civil e Bombeiros, Faustino Minguês, disse que três outras pessoas morreram devido ao  desabamento de uma  parede, no município do Cazenga, vitimando crianças de 16, sete e seis anos de idade, enquanto as demais vítimas, de três anos, se afogaram no distrito do Ngola Kiluange, no Porto Pesqueiro, municipio de Luanda. 

O oficial informou que estão previstas chuvas para os dias 19, 20 e 21 de Abril, de acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (INAMET).

Relatos das redes sociais apontam que uma adolescente morreu no Sambizanga também devido ao desabamento de uma parede da residência onde vivia,

Segundo populares, a ponte das Madres, no bairro da Nova Urbanização, em Cacuaco, e a do Kamorteiro, no Talatona, desabaram, impedindo a circulação de viaturas e de pessoas.
 
No município de Luanda, os bairros Alvalade, Miramar, Marginal, Mutamba, Boavista, Chicala I,  zona do Porto Pesqueiro, Ilha Bungo (Ingombota), Kamuxiba, Kinanga, Kim Ribeiro e Zamba 2 (Samba), rua 21 de Janeiro, Prenda, Rocha Pinto, Gamek, Catintom e  Huambo ficaram, igualmente, alagados.

As inundações provocadas pela chuva afectaram, também, a zona baixa do Cassequel (Maianga), os bairros Santo Rosa, Madeira, zona dos Bois e Madeira (Sambizanga), no distrito Urbano do Ngola Kiluanje - Pedreira de cima e de baixo.

O  Kilamba Kiaxi e o Talatona  ficaram com os bairros totalmente alagados, designadamente Havemos de Voltar (Malanjinho), Rastas, Golf I, Lixeira, na sub zona 10 (no limite com o Catintom) e zona da Ponte Molhada, Benfica, Dangereux, Cambamba e Cambamba 2 e Honga.

Os bairros do Distrito sede, Pescadores, Cerâmica, Garcia, Emmanuel, Bate-chapa, entrada da Barra do Bengo, Kicolo, Boa Esperança e a zona agrícola da Funda no município de Cacuaco estão também inundados.

O município do Cazenga registou vários estragos causados pela chuva nos bairros da BCA, Tunga Ngó, Asa Branca, Aviários, arredores das Bacias Tio Kimbundo e Tio Mabululo.

O temporal  afectou, igualmente, a rotunda da Igreja Catolica, Luanda Sul ,os bairros da Estalagem, Baixa de Kassanje, KM9, KM12A, parte do Porto Seco, Zango 1 junto do centro de distribuição da EPAL, Sanzala,   em Viana.

A ANGOP apurou, ainda, que o município de Belas, parte da Avenida Fidel Castro, nas imediações do Estádio 11 de Novembro, assim como o bairro das Salinas, Veados, Mundial e Vila Verde, na zona de Cabolombo tiveram, também, prejuízos causados pela chuva.

Três mortes foram por electrocussão, no Kilamba Kiaxi, nas imediações do Hospital Sanatório, onde mãe e filha faleceram, e no municipio de Luanda, envolvendo um cidadão estrangeiro.

O porta-voz do Serviço  Nacional de Protecção Civil e Bombeiros, Faustino Minguês, disse que três outras pessoas morreram devido ao  desabamento de uma  parede, no município do Cazenga, vitimando crianças de 16, sete e seis anos de idade, enquanto as demais vítimas, de três anos, se afogaram no distrito do Ngola Kiluange, no Porto Pesqueiro, municipio de Luanda. 

O oficial informou que estão previstas chuvas para os dias 19, 20 e 21 de Abril, de acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (INAMET).

Relatos das redes sociais apontam que uma adolescente morreu no Sambizanga também devido ao desabamento de uma parede da residência onde vivia,

Segundo populares, a ponte das Madres, no bairro da Nova Urbanização, em Cacuaco, e a do Kamorteiro, no Talatona, desabaram, impedindo a circulação de viaturas e de pessoas.
 
No município de Luanda, os bairros Alvalade, Miramar, Marginal, Mutamba, Boavista, Chicala I,  zona do Porto Pesqueiro, Ilha Bungo (Ingombota), Kamuxiba, Kinanga, Kim Ribeiro e Zamba 2 (Samba), rua 21 de Janeiro, Prenda, Rocha Pinto, Gamek, Catintom e  Huambo ficaram, igualmente, alagados.

As inundações provocadas pela chuva afectaram, também, a zona baixa do Cassequel (Maianga), os bairros Santo Rosa, Madeira, zona dos Bois e Madeira (Sambizanga), no distrito Urbano do Ngola Kiluanje - Pedreira de cima e de baixo.

O  Kilamba Kiaxi e o Talatona  ficaram com os bairros totalmente alagados, designadamente Havemos de Voltar (Malanjinho), Rastas, Golf I, Lixeira, na sub zona 10 (no limite com o Catintom) e zona da Ponte Molhada, Benfica, Dangereux, Cambamba e Cambamba 2 e Honga.

Os bairros do Distrito sede, Pescadores, Cerâmica, Garcia, Emmanuel, Bate-chapa, entrada da Barra do Bengo, Kicolo, Boa Esperança e a zona agrícola da Funda no município de Cacuaco estão também inundados.

O município do Cazenga registou vários estragos causados pela chuva nos bairros da BCA, Tunga Ngó, Asa Branca, Aviários, arredores das Bacias Tio Kimbundo e Tio Mabululo.

O temporal  afectou, igualmente, a rotunda da Igreja Catolica, Luanda Sul ,os bairros da Estalagem, Baixa de Kassanje, KM9, KM12A, parte do Porto Seco, Zango 1 junto do centro de distribuição da EPAL, Sanzala,   em Viana.

A ANGOP apurou, ainda, que o município de Belas, parte da Avenida Fidel Castro, nas imediações do Estádio 11 de Novembro, assim como o bairro das Salinas, Veados, Mundial e Vila Verde, na zona de Cabolombo tiveram, também, prejuízos causados pela chuva.