ONG sensibiliza mais de 50 mil pessoas contra a Covid-19 em Luanda

  • Vista parcial da Avenida Rainha Njinga, em Luanda.
Luanda - Mais de 50 mil pessoas foram sensibilizadas na via pública sobre medidas de prevenção contra a Covid-19, no âmbito de um projecto implementado pela ONG World Vision Angola (WVA), revelou hoje, terça-feira, em Luanda, o gestor, Vagno Gomes.

Denominado “Projecto de prevenção e controlo da propagação da Covid-19", a acção foi desenvolvida nos municípios de Cacuaco, Cazenga, Viana, Talatona e Icolo Bengo, envolveu oito organizações da sociedade civil (OSC), e beneficiou 14 mil e 200 famílias.

Para o efeito foram formados 48 profissionais das Organizações da Sociedade Civil, que beneficiaram de 56 telemóveis para facilitar a realização de inquéritos.

Vagno Gomes sublinhou que esta acção faz parte do compromisso da World Vision Angola (WVA), Associação do Bloco 15 e a Agência Nacional de Petróleo, Gás e Biocombustíveis (ANGP) em propor acções que visam mitigar a propagação da Covid-19 em Luanda.

As organizações que beneficiaram são a Associação Nacional Lutas Drogas (ANLD), Associação Juvenil de Apoio às Comunidades (AJACOM), Associação Cristã Para o Progresso Rural (ACPR), Cuidados de Infância (CI), FOJASSIDA, Nação Verde, Jucarente e Jucica.

Explicou que um dos principais objectivos do projecto é controlar a disseminação do Covid-19 e providenciar capacitação e refrescamento, visando a divulgação massiva de informação sobre prevenção e práticas de higiene.

O projecto visa facilitar uma acção local e comunitária auto-sustentada, com a participação de até 480 voluntários cadastrados pelas organizações da sociedade civil, capazes de realizar actividades de informação e educação cívica sobre medidas de higiene e de prevenção contra a Covid-19, no sentido de causar uma responsabilização consciente.

De acordo com o mesmo, o plano de resposta tem cobertura estimada de Dezembro de 2020 a Junho 2021, onde a WVA trabalhará em colaboração com a Associação do Bloco 15 e uma ampla gama de parceiros locais: Gabinete provincial de saúde de Luanda (GPSL), plataformas inter-religiosas, ONG parceiras, Direcções Municipais de Saúde e diferentes níveis de departamentos Governamentais como Saúde e Protecção Social.

Fez saber que a principal estratégia da WVA é alavancar os projectos e programas existentes relacionados ao engajamento comunitário e usar as redes de voluntários e agentes comunitários, para realizar actividades de consciencialização junto as famílias.

Segundo o responsável, o plano de trabalho está alinhado às prioridades estratégicas do Ministério da Saúde (MINSA), Gabinete Provincial da Saúde (GPSL) e Autoridades Sanitárias Municipais, focado na resposta a Covid-19 e também no fortalecimento do sistema de saúde pública no apoio a eventual cobertura de outras emergências na província de Luanda.

A World Vision em Angola é uma Organização Humanitária Cristã que, ao abrigo dos acordos assinados com o Governo de Angola trabalha na área de assistência humanitária, apoiando as populações para o fomento do desenvolvimento económico. Deu início às suas actividades no país em 1989.

 

Denominado “Projecto de prevenção e controlo da propagação da Covid-19", a acção foi desenvolvida nos municípios de Cacuaco, Cazenga, Viana, Talatona e Icolo Bengo, envolveu oito organizações da sociedade civil (OSC), e beneficiou 14 mil e 200 famílias.

Para o efeito foram formados 48 profissionais das Organizações da Sociedade Civil, que beneficiaram de 56 telemóveis para facilitar a realização de inquéritos.

Vagno Gomes sublinhou que esta acção faz parte do compromisso da World Vision Angola (WVA), Associação do Bloco 15 e a Agência Nacional de Petróleo, Gás e Biocombustíveis (ANGP) em propor acções que visam mitigar a propagação da Covid-19 em Luanda.

As organizações que beneficiaram são a Associação Nacional Lutas Drogas (ANLD), Associação Juvenil de Apoio às Comunidades (AJACOM), Associação Cristã Para o Progresso Rural (ACPR), Cuidados de Infância (CI), FOJASSIDA, Nação Verde, Jucarente e Jucica.

Explicou que um dos principais objectivos do projecto é controlar a disseminação do Covid-19 e providenciar capacitação e refrescamento, visando a divulgação massiva de informação sobre prevenção e práticas de higiene.

O projecto visa facilitar uma acção local e comunitária auto-sustentada, com a participação de até 480 voluntários cadastrados pelas organizações da sociedade civil, capazes de realizar actividades de informação e educação cívica sobre medidas de higiene e de prevenção contra a Covid-19, no sentido de causar uma responsabilização consciente.

De acordo com o mesmo, o plano de resposta tem cobertura estimada de Dezembro de 2020 a Junho 2021, onde a WVA trabalhará em colaboração com a Associação do Bloco 15 e uma ampla gama de parceiros locais: Gabinete provincial de saúde de Luanda (GPSL), plataformas inter-religiosas, ONG parceiras, Direcções Municipais de Saúde e diferentes níveis de departamentos Governamentais como Saúde e Protecção Social.

Fez saber que a principal estratégia da WVA é alavancar os projectos e programas existentes relacionados ao engajamento comunitário e usar as redes de voluntários e agentes comunitários, para realizar actividades de consciencialização junto as famílias.

Segundo o responsável, o plano de trabalho está alinhado às prioridades estratégicas do Ministério da Saúde (MINSA), Gabinete Provincial da Saúde (GPSL) e Autoridades Sanitárias Municipais, focado na resposta a Covid-19 e também no fortalecimento do sistema de saúde pública no apoio a eventual cobertura de outras emergências na província de Luanda.

A World Vision em Angola é uma Organização Humanitária Cristã que, ao abrigo dos acordos assinados com o Governo de Angola trabalha na área de assistência humanitária, apoiando as populações para o fomento do desenvolvimento económico. Deu início às suas actividades no país em 1989.