Governador quer participação dos jovens no desenvolvimento do Cuando Cubango

Menongue – O governador do Cuando Cubango, Júlio Bessa, reiterou nesta quarta-feira, em Menongue, o desejo do Executivo local continuar a contar com a participação da juventude para o desenvolvimento da província.

Falando no acto do 14 de Abril, Dia da Juventude Angolana, Júlio Bessa afirmou que vai continuar a trabalhar com os jovens, por já terem mostrado capacidade em várias acções viradas para o desenvolvimento desta região.

Júlio Bessa disse que o governo tem como prioridades o fomento da actividade agrícola, ecoturismo, em função de ostentar terras aráveis, recursos hídricos, faunísticos e outras valências, daí a importância da participação da juventude neste processo, que se quer a curto, médio e longo prazo.

Incentivou os jovens no sentido de continuarem a apostar na formação académica, técnico profissional, uma vez que o governo angolano está comprometido com jovens com competências para o desenvolvimento do país.

Já o bispo da diocese de Menongue, da Igreja Católica, dom Leopoldo Ndakalako, que dissertava o tema “A cultura de paz, um imperativo social ao serviço do bem comum, referiu que os jovens devem ser os primeiros actores da paz.

 “As primeiras vítimas da província violência são os jovens, por isso devem ser os primeiros actores de paz. É preciso lembrar que a pobreza não está associada à violência”, realçou.

Reconheceu que questões como a falta de educação, saúde, emprego, têm sido os grandes problemas que induzem os jovens angolanos à delinquência e à violência, mas que são realidades que o governo vai resolvendo paulatinamente, em função dos programas de governação.

Por sua vez, o secretário executivo do conselho provincial da juventude no Cuando Cubango, Miguel Tchissingui Américo, apelou aos jovens a absterem-se de todas as práticas nocivas que atentem contra a moral, nomeadamente a delinquência juvenil, o imediatismo, o consumo excessivo de bebidas alcoólicas e outras drogas, porquanto o país precisa de jovens saudáveis e comprometidos com o bem-estar de todos os angolanos.

Falando no acto do 14 de Abril, Dia da Juventude Angolana, Júlio Bessa afirmou que vai continuar a trabalhar com os jovens, por já terem mostrado capacidade em várias acções viradas para o desenvolvimento desta região.

Júlio Bessa disse que o governo tem como prioridades o fomento da actividade agrícola, ecoturismo, em função de ostentar terras aráveis, recursos hídricos, faunísticos e outras valências, daí a importância da participação da juventude neste processo, que se quer a curto, médio e longo prazo.

Incentivou os jovens no sentido de continuarem a apostar na formação académica, técnico profissional, uma vez que o governo angolano está comprometido com jovens com competências para o desenvolvimento do país.

Já o bispo da diocese de Menongue, da Igreja Católica, dom Leopoldo Ndakalako, que dissertava o tema “A cultura de paz, um imperativo social ao serviço do bem comum, referiu que os jovens devem ser os primeiros actores da paz.

 “As primeiras vítimas da província violência são os jovens, por isso devem ser os primeiros actores de paz. É preciso lembrar que a pobreza não está associada à violência”, realçou.

Reconheceu que questões como a falta de educação, saúde, emprego, têm sido os grandes problemas que induzem os jovens angolanos à delinquência e à violência, mas que são realidades que o governo vai resolvendo paulatinamente, em função dos programas de governação.

Por sua vez, o secretário executivo do conselho provincial da juventude no Cuando Cubango, Miguel Tchissingui Américo, apelou aos jovens a absterem-se de todas as práticas nocivas que atentem contra a moral, nomeadamente a delinquência juvenil, o imediatismo, o consumo excessivo de bebidas alcoólicas e outras drogas, porquanto o país precisa de jovens saudáveis e comprometidos com o bem-estar de todos os angolanos.