Pais devem assumir as suas responsabilidades - vice governadora

  • Dia do Pai
Sumbe – A vice governadora para o sector Político, Social e Económico no Cuanza Sul, Emília Tchinawalile, exortou hoje, sexta-feira, os pais a assumirem com maior responsabilidade a transmissão dos valores morais e cívicos aos seus filhos.

 

Conforme disse, a boa conduta dos progenitores assegura bons futuros cidadãos que orgulham o país.

A vice governadora fez esta afirmação num acto alusivo ao 19 de Março, “Dia do Pai”, celebrado sob lema “ Pai preserve a dignidade dos seus filhos”.

Enfatizou que os pais devem ensinar os filhos com bons exemplos e dignos para que se tornem pessoas bem-educadas e instruídas, capazes de ajudarem o desenvolvimento do país quando forem crescidos.

“A presença do Pai não substitui a da mãe e vice-versa, elas sim, se completam, porque o pai representa para o filho a segurança e a protecção, e a sua ausência traz influências que acabam perdurando por toda vida, frustrações”, avançou.

Já a directora do Gabinete Provincial da Acção Social Família e Igualdade do Género do Cuanza Sul, Anastácia Solano. realçou que, a presença do pai no lar é imperiosa, porque os filhos necessitam do afecto e da orientação destes em todas as suas vertentes.

No Cuanza Sul, durante o ano transacto, o Gabinete Provincial da Acção Social Família e Igualdade do Género registou 128 casos de fuga a paternidade nos municípios do Libolo e Porto Amboim.

O Dia do Pai em Angola foi comemorado pela primeira vez, de forma institucional, em 2009.

Participaram no encontro, membros do governo, entidades eclesiásticas, autoridades tradicionais e pais.
 

 

Conforme disse, a boa conduta dos progenitores assegura bons futuros cidadãos que orgulham o país.

A vice governadora fez esta afirmação num acto alusivo ao 19 de Março, “Dia do Pai”, celebrado sob lema “ Pai preserve a dignidade dos seus filhos”.

Enfatizou que os pais devem ensinar os filhos com bons exemplos e dignos para que se tornem pessoas bem-educadas e instruídas, capazes de ajudarem o desenvolvimento do país quando forem crescidos.

“A presença do Pai não substitui a da mãe e vice-versa, elas sim, se completam, porque o pai representa para o filho a segurança e a protecção, e a sua ausência traz influências que acabam perdurando por toda vida, frustrações”, avançou.

Já a directora do Gabinete Provincial da Acção Social Família e Igualdade do Género do Cuanza Sul, Anastácia Solano. realçou que, a presença do pai no lar é imperiosa, porque os filhos necessitam do afecto e da orientação destes em todas as suas vertentes.

No Cuanza Sul, durante o ano transacto, o Gabinete Provincial da Acção Social Família e Igualdade do Género registou 128 casos de fuga a paternidade nos municípios do Libolo e Porto Amboim.

O Dia do Pai em Angola foi comemorado pela primeira vez, de forma institucional, em 2009.

Participaram no encontro, membros do governo, entidades eclesiásticas, autoridades tradicionais e pais.