PAPE financia AKZ 30 milhões para fomento de auto-emprego

  • Fabrica de baterias Rei Leão
Luena – Cento e setenta jovens da província do Moxico beneficiaram de um financiamento avaliado em trinta milhões de Kwanzas, durante o I trimestre de implementação do Plano de Acção de Promoção a Empregabilidade (PAPE).

Lançado em Outubro de 2020, o PAPE, de iniciativa do Ministério da Administração Pública, Trabalho e Segurança Social (MAPTSS), visa fomentar e apoiar o espírito de iniciativa de jovens empreendedores com formação profissional.

De acordo com o director do Gabinete provincial do Desenvolvimento económico integrado no Moxico, Guimarães Pinto Luís, que falava durante a apresentação do balanço do ano económico 2020, na primeira fase o programa financiou 54 jovens com um valor de um milhão e duzentos e 96 mil Kwanzas.

Na segunda fase, disse o responsável, o número de beneficiários subiu para 96, recebendo 300 mil Kwanzas cada, perfazendo mais de 28 milhões de Kwanzas.

No capítulo da formação profissional, o director afirmou que em 2020 a província registou um saldo negativo de 94 por cento do número de candidatos formados, em comparação com o igual período anterior, em consequência da fase de confinamento que se viveu no país, para se evitar a propagação da Covid19.

Em 2019, os centros profissionais formaram mais de três mil e trezentos candidatos nos cursos de informática, electricidade, mesa e bar, pastelaria e culinária, corte e costura, decoração, carpintaria e hardware, enquanto que no ano seguinte o número baixou para 119 nas mesmas áreas.

 

Lançado em Outubro de 2020, o PAPE, de iniciativa do Ministério da Administração Pública, Trabalho e Segurança Social (MAPTSS), visa fomentar e apoiar o espírito de iniciativa de jovens empreendedores com formação profissional.

De acordo com o director do Gabinete provincial do Desenvolvimento económico integrado no Moxico, Guimarães Pinto Luís, que falava durante a apresentação do balanço do ano económico 2020, na primeira fase o programa financiou 54 jovens com um valor de um milhão e duzentos e 96 mil Kwanzas.

Na segunda fase, disse o responsável, o número de beneficiários subiu para 96, recebendo 300 mil Kwanzas cada, perfazendo mais de 28 milhões de Kwanzas.

No capítulo da formação profissional, o director afirmou que em 2020 a província registou um saldo negativo de 94 por cento do número de candidatos formados, em comparação com o igual período anterior, em consequência da fase de confinamento que se viveu no país, para se evitar a propagação da Covid19.

Em 2019, os centros profissionais formaram mais de três mil e trezentos candidatos nos cursos de informática, electricidade, mesa e bar, pastelaria e culinária, corte e costura, decoração, carpintaria e hardware, enquanto que no ano seguinte o número baixou para 119 nas mesmas áreas.