PAPE gera mais de oito mil empregos

  • Teresa Dias, Ministra da Administração Pública Trabalho e Segurança Social
Namacunde - O Plano de Acção para a Promoção da Empregabilidade (PAPE) já beneficiou três mil 672 jovens e criou oito mil, 338 empregos directos e indirectos, em 15 províncias do país.

Segundo informação prestada hoje, no município de Namacunde, província do Cunene, pela ministra da Administração Pública, Trabalho e Segurança Social, Teresa Rodrigues Dias, os contemplados pelo PAPE beneficiaram de acções de formação profissional, micro-créditos e kits profissionais.

Teresa Rodrigues Dias lançou oficialmente o PAPE no município de Namacunde, tendo adiantado que, na província do Cunene, já beneficiaram do Plano 334 cidadãos, que geraram 683 postos de trabalho.

Especificou que 361 postos de trabalho resultaram de 175 créditos concedidos e os outros 322 do Programa de Fomento ao Auto-emprego, com 116 kits profissionais distribuídos.

Em relação a avaliação e certificação de competências, foram atribuídas 43 carteiras a profissionais já estabelecidos.

Teresa Rodrigues Dias frisou que o número ainda não satisfaz, pois a meta é atingir 83 mil e 500 postos directos e 243 mil indirectos, até 2022.

Afirmou que, apesar da pandemia da Covid-19, o PAPE está a ser implementado, de forma bastante prudente.

De acordo com a governante, com a implementação das políticas activas do mercado de trabalho, inseridas na aplicação do PAPE, há esperança da redução do desemprego e da pobreza, que afecta muitos cidadãos.

Segundo disse, verifica-se a inserção imediata dos jovens no mercado de trabalho, através do incentivo ao empreendedorismo, a capacitação técnico-profissional e o acesso simplificado e bonificado ao micro-crédito.

O Plano de Acção para a Promoção da Empregabilidade (PAPE) faz parte dos esforços do Executivo angolano, na elevação dos níveis de bem-estar económico e social das populações, através de um conjunto de projectos, programas e medidas que visam empoderar a população jovem.

Durante a sua jornada de trabalho no Cunene, a ministra da Administração Pública, Trabalho e Segurança Social vai orientar a abertura do ciclo formativo do Sistema Nacional de Formação Profissional/2021, bem como se inteirar melhor do funcionamento do sector na província.

Segundo informação prestada hoje, no município de Namacunde, província do Cunene, pela ministra da Administração Pública, Trabalho e Segurança Social, Teresa Rodrigues Dias, os contemplados pelo PAPE beneficiaram de acções de formação profissional, micro-créditos e kits profissionais.

Teresa Rodrigues Dias lançou oficialmente o PAPE no município de Namacunde, tendo adiantado que, na província do Cunene, já beneficiaram do Plano 334 cidadãos, que geraram 683 postos de trabalho.

Especificou que 361 postos de trabalho resultaram de 175 créditos concedidos e os outros 322 do Programa de Fomento ao Auto-emprego, com 116 kits profissionais distribuídos.

Em relação a avaliação e certificação de competências, foram atribuídas 43 carteiras a profissionais já estabelecidos.

Teresa Rodrigues Dias frisou que o número ainda não satisfaz, pois a meta é atingir 83 mil e 500 postos directos e 243 mil indirectos, até 2022.

Afirmou que, apesar da pandemia da Covid-19, o PAPE está a ser implementado, de forma bastante prudente.

De acordo com a governante, com a implementação das políticas activas do mercado de trabalho, inseridas na aplicação do PAPE, há esperança da redução do desemprego e da pobreza, que afecta muitos cidadãos.

Segundo disse, verifica-se a inserção imediata dos jovens no mercado de trabalho, através do incentivo ao empreendedorismo, a capacitação técnico-profissional e o acesso simplificado e bonificado ao micro-crédito.

O Plano de Acção para a Promoção da Empregabilidade (PAPE) faz parte dos esforços do Executivo angolano, na elevação dos níveis de bem-estar económico e social das populações, através de um conjunto de projectos, programas e medidas que visam empoderar a população jovem.

Durante a sua jornada de trabalho no Cunene, a ministra da Administração Pública, Trabalho e Segurança Social vai orientar a abertura do ciclo formativo do Sistema Nacional de Formação Profissional/2021, bem como se inteirar melhor do funcionamento do sector na província.