PIIM aumenta oferta de obras sociais no Ecunha

Ecunha - Três obras de impacto económico-social, avaliadas em 153 milhões e 755 mil kwanzas, foram consignadas, esta quarta-feira, no município do Ecunha, província do Huambo, no âmbito do Programa Integrado de Intervenção dos Municípios (PIIM).

Os autos de consignação, que simboliza o início das empreitadas que irão aumentar a oferta dos serviços sociais na municipalidade, foram testemunhados pelo vice-governador da província do Huambo para os Serviços Técnicos e Infra-estruturas, Leonardo Severino Sapalo.

Trata-se do projecto de requalificação e ampliação da rede eléctrica em baixa tensão, que contempla a iluminação pública e o melhoramento da estrutura da central eléctrica, avaliado em 58 milhões e 755 mil kwanzas, as obras de construção de uma escola de sete salas de aula, num valor de 80 milhões de kwanzas e do centro de transferência de resíduos sólidos, com um investimento de 15 milhões de kwanzas.

Com duração de cinco a seis meses, a construção e reabilitação das empreitadas constitui uma oportunidade para estimular o desenvolvimento económico-social do município do Ecunha.

Segundo apurou a ANGOP, com a execução do projecto de requalificação e ampliação da rede eléctrica pretende-se recuperar 3.1 quilómetros de extensão e a colocação de 72 postes com nove a treze metros de altura.

Pretende-se ainda aumentar o número de clientes de 560 (actuais) para dois mil, com a aquisição de um grupo gerador de 700 kva para o reforço dos cinco em funcionamento,  sendo três de 700 Kva e dois de 500 kva.

No contexto educacional, a escola de sete salas de aula irá albergar 500 alunos, em dois turnos, figurando-se na primeira obra do género, das cinco previstas no PIIM, cujas propostas orçamentais já foram encaminhadas à Direcção Nacional de Investimentos Públicos para aprovação definitiva.

O município do Ecunha conta, no presente ano lectivo, 60 escolas, onde apenas oito definitivas, com um total de 40 mil e 820 alunos matriculados no presente ano lectivo, com mil e 103 professores do ensino primário ao II ciclo do ensino secundário.

Já o centro de transferência de resíduos sólidos vai ocupar uma área de 10 mil metros quadrados e obedece as regras ecológicas, assim como a preservação do meio ambiente para garantir a saúde pública dos munícipes.

Na ocasião, o vice-governador da província do Huambo para os Serviços Técnicos e Infra-estruturas, Leonardo Severino Sapalo, recomendou a fiscalização das empreitadas e cumprimentos dos prazos contratuais, para promover o bem-estar económico-social da população.

Por seu turno, a administradora do município da Ecunha, Guilhermina Bacia, pediu o envolvimento das autoridades tradicionais no processo de fiscalização, para que as obras tenham a qualidade exigida.

Com uma extensão territorial de mil e 677 quilómetros quadrados, o município do Ecunha, cujo nome significa “caroço”, em língua nacional Umbundo, conta com uma população estimada em 97 mil e 648 habitantes, distribuídos pelas comunas sede e do Quipeio, subdividas em 24 bairros e 164 aldeias.

Localizada a 42 quilómetros da cidade do Huambo, esta municipalidade, então Vila Flor na época colonial, é a primeira no país no que toca à produção de batata-rena por irrigação, feito que lhe valeu, até aos dias de hoje, o título de “Capital e Rainha da Batata-rena” em Angola, por ter um ciclo de produção deste tubérculo ao longo do ano.

Os autos de consignação, que simboliza o início das empreitadas que irão aumentar a oferta dos serviços sociais na municipalidade, foram testemunhados pelo vice-governador da província do Huambo para os Serviços Técnicos e Infra-estruturas, Leonardo Severino Sapalo.

Trata-se do projecto de requalificação e ampliação da rede eléctrica em baixa tensão, que contempla a iluminação pública e o melhoramento da estrutura da central eléctrica, avaliado em 58 milhões e 755 mil kwanzas, as obras de construção de uma escola de sete salas de aula, num valor de 80 milhões de kwanzas e do centro de transferência de resíduos sólidos, com um investimento de 15 milhões de kwanzas.

Com duração de cinco a seis meses, a construção e reabilitação das empreitadas constitui uma oportunidade para estimular o desenvolvimento económico-social do município do Ecunha.

Segundo apurou a ANGOP, com a execução do projecto de requalificação e ampliação da rede eléctrica pretende-se recuperar 3.1 quilómetros de extensão e a colocação de 72 postes com nove a treze metros de altura.

Pretende-se ainda aumentar o número de clientes de 560 (actuais) para dois mil, com a aquisição de um grupo gerador de 700 kva para o reforço dos cinco em funcionamento,  sendo três de 700 Kva e dois de 500 kva.

No contexto educacional, a escola de sete salas de aula irá albergar 500 alunos, em dois turnos, figurando-se na primeira obra do género, das cinco previstas no PIIM, cujas propostas orçamentais já foram encaminhadas à Direcção Nacional de Investimentos Públicos para aprovação definitiva.

O município do Ecunha conta, no presente ano lectivo, 60 escolas, onde apenas oito definitivas, com um total de 40 mil e 820 alunos matriculados no presente ano lectivo, com mil e 103 professores do ensino primário ao II ciclo do ensino secundário.

Já o centro de transferência de resíduos sólidos vai ocupar uma área de 10 mil metros quadrados e obedece as regras ecológicas, assim como a preservação do meio ambiente para garantir a saúde pública dos munícipes.

Na ocasião, o vice-governador da província do Huambo para os Serviços Técnicos e Infra-estruturas, Leonardo Severino Sapalo, recomendou a fiscalização das empreitadas e cumprimentos dos prazos contratuais, para promover o bem-estar económico-social da população.

Por seu turno, a administradora do município da Ecunha, Guilhermina Bacia, pediu o envolvimento das autoridades tradicionais no processo de fiscalização, para que as obras tenham a qualidade exigida.

Com uma extensão territorial de mil e 677 quilómetros quadrados, o município do Ecunha, cujo nome significa “caroço”, em língua nacional Umbundo, conta com uma população estimada em 97 mil e 648 habitantes, distribuídos pelas comunas sede e do Quipeio, subdividas em 24 bairros e 164 aldeias.

Localizada a 42 quilómetros da cidade do Huambo, esta municipalidade, então Vila Flor na época colonial, é a primeira no país no que toca à produção de batata-rena por irrigação, feito que lhe valeu, até aos dias de hoje, o título de “Capital e Rainha da Batata-rena” em Angola, por ter um ciclo de produção deste tubérculo ao longo do ano.