PIIM revitaliza município do Chinjenje

Chinjenje – A materialização das acções do Plano Integrado de Intervenção nos Municípios (PIIM), em Chinjenje, província do Huambo, está a permitir a projecção da municipalidade rumo ao crescimento social e económico.

Na municipalidade, cuja sede completou, neste domingo, 117 anos desde que ascendeu à categoria de vila, foram aprovados 26 acções e todas em execução, na sua maioria projectos estruturantes, que depois de concluídos vão melhorar, no curto e médio prazo, o bem-estar da população local e promover o crescimento social e económico.

Conforme o administrador local, Pedro Isaac, em declarações hoje, segunda-feira, à imprensa, por ocasião da efeméride, as 26 acções representam um avanço significativo no quadro dos desafios da projecção do crescimento socio-económico do município.

Informou que, das infra-estruturas em curso, destacam-se as obras de  construção do novo hospital municipal, da estação de abastecimento de água potável, da repartição de saúde, da biblioteca, dos palácios do Administrador e da Justiça, de duas residências de professores e enfermeiros, além da expansão da rede de distribuição de energia na sede e na comuna da Chiyaca.

Disse estarem igualmente em curso, as obras de construção de um posto de saúde, duas escolas de sete salas de aula, a reabilitação de outros empreendimentos, para além da terraplanagem de algumas estradas secundárias e terciárias, para a melhoria da circulação de pessoas e bens.

Pedro Isaac referiu que os desafios da dinamização do crescimento do município do Chinjenje contam, igualmente, com o suporte do Programa Integrado de Desenvolvimento Local e Combate à Pobreza, com um total de nove eixos e um financiamento mensal de 25 milhões de kwanzas.

Realçou que os investimentos neste domínio têm incidido na construção de infra-estruturas rurais, sociais, apoio à cidadania, o fornecimento de água em todas as aldeias, a promoção do género e empoderamento da mulher, o fomento das actividades culturais e desportivas, a promoção do turismo e o apoio, com cestas básicas, às vítimas da seca.

Com estas acções, disse, perspectiva-se a redução da insuficiência de serviços sociais, sobretudo em termos de infra-estruturas, que o município enfrenta nos mais variados sectores, uma realidade que tem condicionado o desenvolvimento progressivo e sustentável da circunscrição.

A título de exemplo, referiu que o sector da Educação conta, actualmente, com 66 escolas, sendo 64 do ensino primário, uma do I ciclo e outra do II ciclo, com apenas 11 definitivas e 55 comunitárias, uma realidade que preocupa as autoridades locais, por inviabilizar a qualidade do processo de ensino/aprendizagem.

Avançou que o sector é assegurado por 656 professores e 25 administrativos, números insuficientes a julgar pela necessidade de inserção de mais crianças no sistema docente/educativo.

No domínio sanitário, Pedro Isaac informou que o sector possui apenas um hospital municipal, igual número de centro de saúde e alguns postos médicos, carecendo, deste modo, de mais infra-estruturas e especialistas para garantir a assistência médica/medicamentosa desejada aos mais de 38 mil habitantes que compõem a população do município.

A mesma realidade, de acordo com o administrador, coloca-se nos sectores da energia e água, com taxas muito aquém, daí a razão de ter convidado os empresários a investirem no município, cuja sede dista a 118 quilómetros da cidade do Huambo.

Chinjenje quer destacar-se na produção de alho

O gestor municipal realçou que a produção de alho em grande escala constitui uma estrtagégia das autoridades locais, em conjunto com os camponeses e agricultores, para se tornar numa referência nacional.

A estratégia, segundo o administrador, visa aproveitar as potencialidades da municipalidade na produção de alho, para que, associado ao cultivo do milho, feijão, mandioca, ananás e batata-doce, se possa fazer face aos desafios da segurança alimentar.

Para o efeito, informou que a administração municipal vai distribuir insumos agrícolas e instrumentos de trabalho, acompanhados da reablitação das vias de acesso, para facilitar o escoamento dos produtos do campo para os centros comerciais do país.

Um outro desafio, segundo Pedro Isaac, tem a ver com a captação de investimentos privados para alavancar o “adormecido” sector do turismo, com foco na diversificação económica, visto que o município dispõe de inúmeras potencialidades naturais, com 13 pontos identificados.

Fundado a 15 de Agosto de 1904, o município do Chinjenje, que completa 117 anos de existência, é uma das localidades mais antigas do Huambo, tendo começado como uma ombala, chamada Kandindi, descoberta pelo rei Tchandja I, que vinha da província do Bié, na procura de melhores condições de vida.

O nome Chinjenje surgiu dos pássaros que sobrevoavam nas margens do rio Calondjila, denominado Ovindjendje, passando, posteriormente, a chamar-se de Chinejnje, por designação dos primeiros portugueses que habitaram na localidade.

O município do Chinjenje, um dos 11 da província do Huambo, é habitado por uma população estimada em 38 mil e 539 habitantes, distribuídos em duas comunas (Chiaka e Sede).

Na municipalidade, cuja sede completou, neste domingo, 117 anos desde que ascendeu à categoria de vila, foram aprovados 26 acções e todas em execução, na sua maioria projectos estruturantes, que depois de concluídos vão melhorar, no curto e médio prazo, o bem-estar da população local e promover o crescimento social e económico.

Conforme o administrador local, Pedro Isaac, em declarações hoje, segunda-feira, à imprensa, por ocasião da efeméride, as 26 acções representam um avanço significativo no quadro dos desafios da projecção do crescimento socio-económico do município.

Informou que, das infra-estruturas em curso, destacam-se as obras de  construção do novo hospital municipal, da estação de abastecimento de água potável, da repartição de saúde, da biblioteca, dos palácios do Administrador e da Justiça, de duas residências de professores e enfermeiros, além da expansão da rede de distribuição de energia na sede e na comuna da Chiyaca.

Disse estarem igualmente em curso, as obras de construção de um posto de saúde, duas escolas de sete salas de aula, a reabilitação de outros empreendimentos, para além da terraplanagem de algumas estradas secundárias e terciárias, para a melhoria da circulação de pessoas e bens.

Pedro Isaac referiu que os desafios da dinamização do crescimento do município do Chinjenje contam, igualmente, com o suporte do Programa Integrado de Desenvolvimento Local e Combate à Pobreza, com um total de nove eixos e um financiamento mensal de 25 milhões de kwanzas.

Realçou que os investimentos neste domínio têm incidido na construção de infra-estruturas rurais, sociais, apoio à cidadania, o fornecimento de água em todas as aldeias, a promoção do género e empoderamento da mulher, o fomento das actividades culturais e desportivas, a promoção do turismo e o apoio, com cestas básicas, às vítimas da seca.

Com estas acções, disse, perspectiva-se a redução da insuficiência de serviços sociais, sobretudo em termos de infra-estruturas, que o município enfrenta nos mais variados sectores, uma realidade que tem condicionado o desenvolvimento progressivo e sustentável da circunscrição.

A título de exemplo, referiu que o sector da Educação conta, actualmente, com 66 escolas, sendo 64 do ensino primário, uma do I ciclo e outra do II ciclo, com apenas 11 definitivas e 55 comunitárias, uma realidade que preocupa as autoridades locais, por inviabilizar a qualidade do processo de ensino/aprendizagem.

Avançou que o sector é assegurado por 656 professores e 25 administrativos, números insuficientes a julgar pela necessidade de inserção de mais crianças no sistema docente/educativo.

No domínio sanitário, Pedro Isaac informou que o sector possui apenas um hospital municipal, igual número de centro de saúde e alguns postos médicos, carecendo, deste modo, de mais infra-estruturas e especialistas para garantir a assistência médica/medicamentosa desejada aos mais de 38 mil habitantes que compõem a população do município.

A mesma realidade, de acordo com o administrador, coloca-se nos sectores da energia e água, com taxas muito aquém, daí a razão de ter convidado os empresários a investirem no município, cuja sede dista a 118 quilómetros da cidade do Huambo.

Chinjenje quer destacar-se na produção de alho

O gestor municipal realçou que a produção de alho em grande escala constitui uma estrtagégia das autoridades locais, em conjunto com os camponeses e agricultores, para se tornar numa referência nacional.

A estratégia, segundo o administrador, visa aproveitar as potencialidades da municipalidade na produção de alho, para que, associado ao cultivo do milho, feijão, mandioca, ananás e batata-doce, se possa fazer face aos desafios da segurança alimentar.

Para o efeito, informou que a administração municipal vai distribuir insumos agrícolas e instrumentos de trabalho, acompanhados da reablitação das vias de acesso, para facilitar o escoamento dos produtos do campo para os centros comerciais do país.

Um outro desafio, segundo Pedro Isaac, tem a ver com a captação de investimentos privados para alavancar o “adormecido” sector do turismo, com foco na diversificação económica, visto que o município dispõe de inúmeras potencialidades naturais, com 13 pontos identificados.

Fundado a 15 de Agosto de 1904, o município do Chinjenje, que completa 117 anos de existência, é uma das localidades mais antigas do Huambo, tendo começado como uma ombala, chamada Kandindi, descoberta pelo rei Tchandja I, que vinha da província do Bié, na procura de melhores condições de vida.

O nome Chinjenje surgiu dos pássaros que sobrevoavam nas margens do rio Calondjila, denominado Ovindjendje, passando, posteriormente, a chamar-se de Chinejnje, por designação dos primeiros portugueses que habitaram na localidade.

O município do Chinjenje, um dos 11 da província do Huambo, é habitado por uma população estimada em 38 mil e 539 habitantes, distribuídos em duas comunas (Chiaka e Sede).