PIIM financia infra-estruturas para Serviço Integrado do Interior

  • Salvador Rodrigues, Secretário de Estado do Ministerio do Interior
  • Salvador Rodrigues, Secretário de Estado do Ministerio do Interior
Sumbe – A construção das infra-estruturas do Serviço Integrado da Polícia Nacional, Investigação Criminal e Bombeiros, começou esta terça-feira, na comuna da Ngangula, município do Sumbe, província do Cuanza Sul, orçada em Kz 647 milhões 787 mil e 595.

Financiada pelo Programa Integrado de Intervenção nos Municípios (PIIM), a obra terá a duração de seis meses e está a ser erguida numa área de três mil 590 metros quadrados.

No acto de lançamento da primeira pedra, o secretário de Estado do Interior para o Asseguramento Técnico, Salvador Rodrigues, disse que o propósito é permitir um atendimento mais célere à população e combater a criminalidade.

Com este serviço, os cidadãos das localidades da Quibaúla e arredores vão evitar percorrer até a cidade do Sumbe, cerca de 20 quilómetros, em busca de assistência.

O secretário de Estado apontou como prioridade, combater o vandalismo, com destaque para a destruição dos bens públicos.

Na ocasião, o director do Gabinete Provincial das Obras Públicas e Infra-estruturas, Hector Alfredo, disse que os serviços integrados do Ministério do Interior vão inibir as acções criminosas na localidade.

Segundo a representante da empresa Afritrack Angola, Sabeni Yoanne, empreiteira, 90 por cento dos trabalhadores serão recrutados localmente.

Neste momento, a nível do Cuanza Sul, estão em execução, no âmbito do PIIM, 97 projectos.

 

 
 

Financiada pelo Programa Integrado de Intervenção nos Municípios (PIIM), a obra terá a duração de seis meses e está a ser erguida numa área de três mil 590 metros quadrados.

No acto de lançamento da primeira pedra, o secretário de Estado do Interior para o Asseguramento Técnico, Salvador Rodrigues, disse que o propósito é permitir um atendimento mais célere à população e combater a criminalidade.

Com este serviço, os cidadãos das localidades da Quibaúla e arredores vão evitar percorrer até a cidade do Sumbe, cerca de 20 quilómetros, em busca de assistência.

O secretário de Estado apontou como prioridade, combater o vandalismo, com destaque para a destruição dos bens públicos.

Na ocasião, o director do Gabinete Provincial das Obras Públicas e Infra-estruturas, Hector Alfredo, disse que os serviços integrados do Ministério do Interior vão inibir as acções criminosas na localidade.

Segundo a representante da empresa Afritrack Angola, Sabeni Yoanne, empreiteira, 90 por cento dos trabalhadores serão recrutados localmente.

Neste momento, a nível do Cuanza Sul, estão em execução, no âmbito do PIIM, 97 projectos.