Governador orienta rescisão de contratos do PIIM

  • Lunda Norte: Ernesto Muangala, governador provincial
Cuilo - O governador da Lunda Norte, Ernesto Muangala, orientou, quinta-feira, a administração municipal do Cuilo a rescindir contratos com os empreiteiros das obras do posto de saúde e de uma escola de sete salas de aulas, se até Fevereiro não cumprirem com os prazos estabelecidos nos contratos.

Ernesto Muangala deixou esta orientação no final da visita de constatação efectuada as obras inseridas no Plano Integrado de Intervenção aos Municípios (PIIM), avaliadas em 956 milhões, 537 mil, 856 kwanzas, incluindo o programa de saneamento básico.

Do valor global, já foram pagos 466 milhões de Kwanzas.

Relativamente ao posto de saúde em construção na localidade de Cabemba, Ernesto Muangala manifestou-se insatisfeito com a ausência do empreiteito e a falta de rigor na fiscalização da empreitada.

Quanto a escola de sete salas de aulas na comuna de Caluango, Ernesto Muangala disse estar preocupado com o atraso das obras, iniciadas em Junho de 2020, com um prazo de execução de oito meses.

"Orientamos a administração municipal para até em Fevereiro, se os empreiteiros das obras do posto de saúde não retomarem as empreitadas, rescindir os contratos e contratar outro empreiteiro e, em relação a escola de sete salas de aulas demos o prazo de um mês para nos entregarem as obras, caso contrário vamos rescindir", disse.

Quanto a escola de 12 salas, o governante recomendou o empreiteiro a acelerar com as obras e concluir em Setembro, de acordo com os prazos.

Os empreiteiros, segundo apurou à Angop durante a visita, alegam dificuldades na aquisição do material de constatação associada ao mau estado das vias e as chuvas constantes, como principais causas dos atrasos das obras.

Com a conclusão destas obras, o município do Cuilo, com mais de 50 mil habitantes, distribuídos em duas comunas,  passará a contar com seis unidades sanitárias e 58 escolas.

Ernesto Muangala deixou esta orientação no final da visita de constatação efectuada as obras inseridas no Plano Integrado de Intervenção aos Municípios (PIIM), avaliadas em 956 milhões, 537 mil, 856 kwanzas, incluindo o programa de saneamento básico.

Do valor global, já foram pagos 466 milhões de Kwanzas.

Relativamente ao posto de saúde em construção na localidade de Cabemba, Ernesto Muangala manifestou-se insatisfeito com a ausência do empreiteito e a falta de rigor na fiscalização da empreitada.

Quanto a escola de sete salas de aulas na comuna de Caluango, Ernesto Muangala disse estar preocupado com o atraso das obras, iniciadas em Junho de 2020, com um prazo de execução de oito meses.

"Orientamos a administração municipal para até em Fevereiro, se os empreiteiros das obras do posto de saúde não retomarem as empreitadas, rescindir os contratos e contratar outro empreiteiro e, em relação a escola de sete salas de aulas demos o prazo de um mês para nos entregarem as obras, caso contrário vamos rescindir", disse.

Quanto a escola de 12 salas, o governante recomendou o empreiteiro a acelerar com as obras e concluir em Setembro, de acordo com os prazos.

Os empreiteiros, segundo apurou à Angop durante a visita, alegam dificuldades na aquisição do material de constatação associada ao mau estado das vias e as chuvas constantes, como principais causas dos atrasos das obras.

Com a conclusão destas obras, o município do Cuilo, com mais de 50 mil habitantes, distribuídos em duas comunas,  passará a contar com seis unidades sanitárias e 58 escolas.