PIIM intervém em mais de 600 quilómetros de vias

  • Huíla: Obras de terraplanagem
Lubango – Seiscentos e 67,98 quilómetros de estrada estão a ser terraplanados e asfaltadas na província da Huíla, no âmbito do Plano Integrado de Intervenção nos Municípios (PIIM), para melhorar a mobilidade das pessoas e bens.

A Huíla tem cerca 4.500 quilómetros de estrada em mau estado de conservação, daí que o governo local inscreveu dentro do PIIM 30 obras ligadas as infra-estruturas viárias.

A informação foi avançada hoje, no Lubango pelo chefe do departamento de Gestão Urbanística da Huíla do gabinete provincial de Infra-estruturas e Serviços Técnicos da Huíla, Edilson Oletu.

O responsável que apresentou o tema “O impacto do Plano Integrado de Intervenção nos Municípios (PIIM) nas infra-estruturas viárias”, durante III Fórum Provincial dos transportes da Huíla, afirmou que dos 667.98 quilómetros de estrada, 648 são para terraplanagem e 19.98 para a asfaltagem.

Destacou que para terraplanagem Caconda tem 50 km, Chicomba (requalificação de 20 km e 95 km de novas vias), Chipindo (105 km) no Cuvango (85 km), Jamba (75 km), Gambos (60 km), Humpata (41 km), Matala (26 km) e Quilengues (50 km).

Já a asfaltagem vai abranger a localidades de Cacula (mil e 200 metros), Caluquembe (mil e 500 metros), Chibia (3.2 km), Gambos (2.9 km), Humpata (5.58 km) e Matala (sete km).

Segundo ele, fora do PIIM decorrem obras como a terraplanagem de 45 quilómetros do Chipindo ao Bunjei, a conclusão de 11 quilómetros de estrada Matala-Lubango, em zonas em que a empreitada de 2012 não foi terminada, próximo das pontes.

Edilson Oletu continuou que decorre ainda o processo de conservação da EN 280 Lubango /Matala e está já programado a construção da ponte sobre o rio Hoque.

O PIIM na Huíla foi lançado em Junho de 2019, com uma carteira de 184 empreitadas, orçadas em 41 mil milhões de kwanzas.

 

 

A Huíla tem cerca 4.500 quilómetros de estrada em mau estado de conservação, daí que o governo local inscreveu dentro do PIIM 30 obras ligadas as infra-estruturas viárias.

A informação foi avançada hoje, no Lubango pelo chefe do departamento de Gestão Urbanística da Huíla do gabinete provincial de Infra-estruturas e Serviços Técnicos da Huíla, Edilson Oletu.

O responsável que apresentou o tema “O impacto do Plano Integrado de Intervenção nos Municípios (PIIM) nas infra-estruturas viárias”, durante III Fórum Provincial dos transportes da Huíla, afirmou que dos 667.98 quilómetros de estrada, 648 são para terraplanagem e 19.98 para a asfaltagem.

Destacou que para terraplanagem Caconda tem 50 km, Chicomba (requalificação de 20 km e 95 km de novas vias), Chipindo (105 km) no Cuvango (85 km), Jamba (75 km), Gambos (60 km), Humpata (41 km), Matala (26 km) e Quilengues (50 km).

Já a asfaltagem vai abranger a localidades de Cacula (mil e 200 metros), Caluquembe (mil e 500 metros), Chibia (3.2 km), Gambos (2.9 km), Humpata (5.58 km) e Matala (sete km).

Segundo ele, fora do PIIM decorrem obras como a terraplanagem de 45 quilómetros do Chipindo ao Bunjei, a conclusão de 11 quilómetros de estrada Matala-Lubango, em zonas em que a empreitada de 2012 não foi terminada, próximo das pontes.

Edilson Oletu continuou que decorre ainda o processo de conservação da EN 280 Lubango /Matala e está já programado a construção da ponte sobre o rio Hoque.

O PIIM na Huíla foi lançado em Junho de 2019, com uma carteira de 184 empreitadas, orçadas em 41 mil milhões de kwanzas.