Polícia desmantela dois grupos de garimpeiros de diamantes

  • Diamantes de Angola
Menongue- A Polícia Nacional no Cuando Cubango desmantelou dois grupos de garimpeiros que se dedicavam à exploração ilegal de diamantes nas margens do rio Lomba, nas localidades do Bagani e Mira-7, município da Mavinga.

Os grupos eram compostos por quatro cidadãos angolanos e dois da República Democrática do Congo, de acordo com superintendente-chefe Augusto Tomás, da polícia local.

Constam dos meios apreendidos uma pedra de diamante, nove moto-bombas, 38 pás, 21 peneiras, 14 mangueiras, 14 bidões vazios, sendo dois de 20 litros cada e 12 de cinco litros, duas panelas e igual número de enxadas, 25 quilogramas de estupefaciente do tipo liamba, assim como uma lavra com cerca de mil plantas da referida droga.

O superintendente-chefe Augusto Tomás disse que a apreensão é o culminar das acções de prevenção e combate à exploração e tráfico ilícito de diamantes e outros crimes conexos, decorridas entre 30 de Maio e 2 de Junho, com o envolvimento directo de todos os órgãos afectos ao Ministério do Interior.

Deu a conhecer que os detidos e os meios apreendidos foram presentes ao Ministério Público, para o devido tratamento.

Questionado sobre a possibilidade de existência de uma rede, afirmou que as investigações continuam e que com a detenção desses indivíduos poder-se-á chegar determinar a situação.

Os grupos eram compostos por quatro cidadãos angolanos e dois da República Democrática do Congo, de acordo com superintendente-chefe Augusto Tomás, da polícia local.

Constam dos meios apreendidos uma pedra de diamante, nove moto-bombas, 38 pás, 21 peneiras, 14 mangueiras, 14 bidões vazios, sendo dois de 20 litros cada e 12 de cinco litros, duas panelas e igual número de enxadas, 25 quilogramas de estupefaciente do tipo liamba, assim como uma lavra com cerca de mil plantas da referida droga.

O superintendente-chefe Augusto Tomás disse que a apreensão é o culminar das acções de prevenção e combate à exploração e tráfico ilícito de diamantes e outros crimes conexos, decorridas entre 30 de Maio e 2 de Junho, com o envolvimento directo de todos os órgãos afectos ao Ministério do Interior.

Deu a conhecer que os detidos e os meios apreendidos foram presentes ao Ministério Público, para o devido tratamento.

Questionado sobre a possibilidade de existência de uma rede, afirmou que as investigações continuam e que com a detenção desses indivíduos poder-se-á chegar determinar a situação.