Praga deixa sem comida mais de novecentas famílias

  • Combate a praga de gafanhotos no Cunene
Ondjiva – Novecentas e oito famílias ficaram sem comida após a destruição das suas lavras de massango, milho e massambala, pela vaga de gafanhotos que assolou, desde o princípio de Abril, a província do Cunene.

O dado foi confirmado pela governadora do Cunene, Gerdina Didalelwa, em declarações hoje, quarta-feira, à Angop, tendo garantido que às famílias vão beneficiar de assistência alimentar do governo.

A vaga de gafanhotos causou prejuízos agrícolas, em quatro, dos seis municípios que compõem a província do Cunene, nomeadamente Namacunde, Cuanhama, Ombadja e Curoca.

Gerdina Didalelwa disse que essas famílias da zona rural necessitam de ajuda alimentar para não passarem fome.

Lembrou que Cunene está livre da vaga de gafanhotos já a quatro dias, um mês depois de ser assolada pelos insectos.

A governante reconheceu a pronta intervenção do Executivo no combate a praga dos gafanhotos, que disponibilizou para a província, uma carrinha de fumigação, nove mil 378 unidades de insecticidas e 100 pulverizadores.

Uma equipa do Gabinete Provincial da Agricultura  leva a cabo um trabalho de supervisão nas zonas afectadas pela praga, para avaliar os resultados dos prejuízos causados nas lavras dos camponeses.

A vaga, depois de deixar o Cunene, passou pela província do Namibe instalando-se agora na Huíla,

 

O dado foi confirmado pela governadora do Cunene, Gerdina Didalelwa, em declarações hoje, quarta-feira, à Angop, tendo garantido que às famílias vão beneficiar de assistência alimentar do governo.

A vaga de gafanhotos causou prejuízos agrícolas, em quatro, dos seis municípios que compõem a província do Cunene, nomeadamente Namacunde, Cuanhama, Ombadja e Curoca.

Gerdina Didalelwa disse que essas famílias da zona rural necessitam de ajuda alimentar para não passarem fome.

Lembrou que Cunene está livre da vaga de gafanhotos já a quatro dias, um mês depois de ser assolada pelos insectos.

A governante reconheceu a pronta intervenção do Executivo no combate a praga dos gafanhotos, que disponibilizou para a província, uma carrinha de fumigação, nove mil 378 unidades de insecticidas e 100 pulverizadores.

Uma equipa do Gabinete Provincial da Agricultura  leva a cabo um trabalho de supervisão nas zonas afectadas pela praga, para avaliar os resultados dos prejuízos causados nas lavras dos camponeses.

A vaga, depois de deixar o Cunene, passou pela província do Namibe instalando-se agora na Huíla,