Profissional da TPA vence "Prémio Fórum de Jornalismo"

  • Margarida Bravo, Vencedora do Prémio Jornalista do Ano  no Fórum de Jornalistas
Luanda  -  A jornalista  Margarida Marçal, da Televisão Pública de Angola (TPA) venceu  o prémio "Fórum de Jornalismo", na categoria Jornalista do Ano de 2020.

O prémio, na categoria de Carreira, foi atribuído a Siona Casimiro, ex- correspondente da Agência France Press.

Cada distinguido levou para casa o valor de 1 milhão de Kwanzas.

A propósito da consagração, a coordenadora do Fórum de Mulheres Jornalistas e Igualdade do Género, Josefa Lamberga, afirmou que a iniciativa tem como objectivo estimular os jornalistas a priorizarem a realidade social das comunidades e a inclusão social das mulheres, com reportagens de investigação e abordagens profundas, incentivando a discussão e à busca de soluções.

Conforme Josefa Lamberga, espera-se para a próxima edição mais trabalhos concorrentes e melhor desfecho.

Margarida Marçal, com 13 anos de experiência, garantiu continuidade do seu trabalho social, com a comunidade, mulher e género.

Já Siona Casimiro referiu ser fundamental a afirmação dos profissionais, bem como a luta contra a recorrência dos contravalores que pensam ainda serem capazes de intimidar a classe jornalística.

O Prémio Carreira é atribuído a profissionais com mais de 25 anos de percurso e com conteúdo social.

O prémio teve como critérios assunto mulher, inclusão social, igualdade do género e inserção na comunidade.

O prémio, na categoria de Carreira, foi atribuído a Siona Casimiro, ex- correspondente da Agência France Press.

Cada distinguido levou para casa o valor de 1 milhão de Kwanzas.

A propósito da consagração, a coordenadora do Fórum de Mulheres Jornalistas e Igualdade do Género, Josefa Lamberga, afirmou que a iniciativa tem como objectivo estimular os jornalistas a priorizarem a realidade social das comunidades e a inclusão social das mulheres, com reportagens de investigação e abordagens profundas, incentivando a discussão e à busca de soluções.

Conforme Josefa Lamberga, espera-se para a próxima edição mais trabalhos concorrentes e melhor desfecho.

Margarida Marçal, com 13 anos de experiência, garantiu continuidade do seu trabalho social, com a comunidade, mulher e género.

Já Siona Casimiro referiu ser fundamental a afirmação dos profissionais, bem como a luta contra a recorrência dos contravalores que pensam ainda serem capazes de intimidar a classe jornalística.

O Prémio Carreira é atribuído a profissionais com mais de 25 anos de percurso e com conteúdo social.

O prémio teve como critérios assunto mulher, inclusão social, igualdade do género e inserção na comunidade.