Projecto Água e Saneamento beneficia 42 mil famílias

  • Estação de tratamento de água do Balombo
Huambo – Quarenta e duas mil famílias das províncias do Huambo e do Cuanza Sul beneficiaram de água potável, nos últimos cinco anos, no âmbito de um projecto da Ong Development Workshop, apurou hoje a ANGOP.

Denominado Água e Saneamento, o projecto reconstruiu 100 pontos de distribuição de água nos municípios do Huambo, Bailundo, Cachiungo (Huambo) e da Quibala (Cuanza Sul), além da reparação, nestas mesmas localidades, de outros 670 que apresentavam ligeiras avarias.

Essa informação foi avançada nesta quinta-feira, à ANGOP, pelo coordenador do referido projecto, Hernâni Carlos Cachota, quando fazia o balanço das actividades desenvolvidas pela Ong desde 2015.

Hernâni Carlos Cachota informou que o principal objectivo do projecto, encerrado esta semana, foi o de colocar à disposição dessas famílias água de maior qualidade, através da reabertura de furos, manivelas e chafarizes, com um financiamento de um milhão e 960 mil dólares, da Agência Norte Americana para o Desenvolvimento Internacional (USAID).

De igual modo, acrescentou, a implementação do projecto serviu para encurtar a distância percorrida pela população em busca deste líquido, além de ajudar no combate de doenças de origem hídrica, principalmente nas comunidades rurais.

Na vertente do saneamento, disse que foram construídas 910 latrinas para igual número de famílias das provinciais do Huambo e Cuanza Sul.

A Ong.Development Workshop, fundada em 1973 no Canadá, surgiu em Angola em 1981, depois de ter sido convidada pelas autoridades do país durante a missão angolana na Conferência das Nações Unidas sobre o Habitat, em Vancouver.

Como única agência filantrópica a permanecer em Angola durante os anos 80, a DW Angola era o ponto de chegada para algumas das maiores Ong que desejavam instalar os seus programas no país.

Denominado Água e Saneamento, o projecto reconstruiu 100 pontos de distribuição de água nos municípios do Huambo, Bailundo, Cachiungo (Huambo) e da Quibala (Cuanza Sul), além da reparação, nestas mesmas localidades, de outros 670 que apresentavam ligeiras avarias.

Essa informação foi avançada nesta quinta-feira, à ANGOP, pelo coordenador do referido projecto, Hernâni Carlos Cachota, quando fazia o balanço das actividades desenvolvidas pela Ong desde 2015.

Hernâni Carlos Cachota informou que o principal objectivo do projecto, encerrado esta semana, foi o de colocar à disposição dessas famílias água de maior qualidade, através da reabertura de furos, manivelas e chafarizes, com um financiamento de um milhão e 960 mil dólares, da Agência Norte Americana para o Desenvolvimento Internacional (USAID).

De igual modo, acrescentou, a implementação do projecto serviu para encurtar a distância percorrida pela população em busca deste líquido, além de ajudar no combate de doenças de origem hídrica, principalmente nas comunidades rurais.

Na vertente do saneamento, disse que foram construídas 910 latrinas para igual número de famílias das provinciais do Huambo e Cuanza Sul.

A Ong.Development Workshop, fundada em 1973 no Canadá, surgiu em Angola em 1981, depois de ter sido convidada pelas autoridades do país durante a missão angolana na Conferência das Nações Unidas sobre o Habitat, em Vancouver.

Como única agência filantrópica a permanecer em Angola durante os anos 80, a DW Angola era o ponto de chegada para algumas das maiores Ong que desejavam instalar os seus programas no país.