Província beneficia de seis projectos do PIIM

Mbanza Kongo - Seis projectos de impacto social deverão ser concluídos e inaugurados em Abril deste ano na província do Zaire, no âmbito do Plano Integrado de Intervenção nos Municípios (PIIM).

Trata-se de uma escola de 12 salas de aula, em construção no bairro 04 de Fevereiro, na cidade de Mbanza Kongo, duas outras de sete salas de aula, nos municípios do Tomboco e Nóqui, e três furos de água potável, também no Nóqui.

Esta informação foi prestada hoje, quinta-feira, pelo director do Gabinete de Estudos, Planeamento e Estatística (Gepe) do governo local, Sebastião André Bumba, dando conta que a execução física destes projectos, lançados em Maio do ano transacto, varia, actualmente, entre os 43 e 64 por cento, e a financeira entre os 35 e os 43 por cento.

Recordou que, em finais de Dezembro do ano transacto foi inaugurada a primeira obra do PIIM na região, uma escola de sete salas de aula, na aldeia de Nkoko, comuna do Luvo, município de Mbanza Kongo.

Explicou que, das acções em execução nos seis municípios da província, apenas as obras no município do Nzeto: dois estabelecimentos de ensino de sete e 12 salas de aula, que estão bastante atrasadas (execução física 6,5% e financeira 15%), por razões administrativas.

O responsável informou que o município do Cuimba é o único que aguarda pela validação dos seus projectos de duas escolas (sete e 12 salas de aula), pela Direcção Nacional de Investimentos Público.

 Nesta circunscrição está em execução apenas o pacote referente a aquisição de equipamentos e operacionalização do sistema de saneamento básico da vila.

O Zaire beneficiou de 34 projectos do PIIM, avaliados em Akz 26 mil milhões, 177 milhões, 692 mil, 608 e 91 cêntimos, dos quais 24 de subordinação local e 10 sob a alçada dos Ministérios do Ordenamento do Território e Habitação, Energia e Águas, Interior e Administração do Território.

Dos 24 projectos de âmbito local, 19 estão em execução, desde Maio do ano transacto, nos municípios de Mbanza Kongo, Soyo, Tomboco, Nzeto, Cuimba e Nóqui e que já consumiram Akz mil milhão, 152 milhões, 482 mil, 683 e 95 cêntimos.

O pacote a nível local inscreve obras nos domínios da educação, saneamento básico e água potável.

Até a presente data, nenhum dos 10 projectos de alçada dos departamentos ministeriais teve já início na região, cujo pacote consome o grosso do financiamento, Akz 19 mil milhões, 44 milhões, 263 mil, 744 e 80 cêntimos.

Das acções a serem desenvolvidas pelos órgãos centrais figuram, a construção da ponte sobre o rio Mboba, no município do Cuimba, reabilitação e pavimentação das vias urbanas na vila do Nóqui, construção de infra-estruturas integradas no Nzeto e de uma esquadra policial no Soyo.

Os referidos ministérios deverão ainda construir e apetrechar complexos residenciais administrativos nos municípios do Tomboco e Nóqui, um complexo escolar do ensino secundário em Mbanza Kongo e reabilitar e expandir as redes eléctricas de pequena e média tensão, nesta cidade.

Quando todos estes projectos, tanto do âmbito local como central, estiverem a ser executados deverão criar um total de 597 postos de trabalho directos, segundo a fonte.

O director do Gepe do governo do Zaire disse que a subida os preços dos materiais de construção tem sido a principal preocupação manifestada pelos empreiteiros que executam obras do PIIM na região.

Por isso, não descartou a possibilidade de se efectuar uma revisão de alguns contratos, que poderão culminar com um reajustamento financeiro, por parte dos órgãos centrais do Estado.

A província do Zaire está situada no extremo noroeste de Angola e ocupa uma área de 40 mil e 130 quilómetros quadrados, subdividida em seis municípios e 25 comunas, com uma população estimada em 594 mil e 428 habitantes.

 

 

Trata-se de uma escola de 12 salas de aula, em construção no bairro 04 de Fevereiro, na cidade de Mbanza Kongo, duas outras de sete salas de aula, nos municípios do Tomboco e Nóqui, e três furos de água potável, também no Nóqui.

Esta informação foi prestada hoje, quinta-feira, pelo director do Gabinete de Estudos, Planeamento e Estatística (Gepe) do governo local, Sebastião André Bumba, dando conta que a execução física destes projectos, lançados em Maio do ano transacto, varia, actualmente, entre os 43 e 64 por cento, e a financeira entre os 35 e os 43 por cento.

Recordou que, em finais de Dezembro do ano transacto foi inaugurada a primeira obra do PIIM na região, uma escola de sete salas de aula, na aldeia de Nkoko, comuna do Luvo, município de Mbanza Kongo.

Explicou que, das acções em execução nos seis municípios da província, apenas as obras no município do Nzeto: dois estabelecimentos de ensino de sete e 12 salas de aula, que estão bastante atrasadas (execução física 6,5% e financeira 15%), por razões administrativas.

O responsável informou que o município do Cuimba é o único que aguarda pela validação dos seus projectos de duas escolas (sete e 12 salas de aula), pela Direcção Nacional de Investimentos Público.

 Nesta circunscrição está em execução apenas o pacote referente a aquisição de equipamentos e operacionalização do sistema de saneamento básico da vila.

O Zaire beneficiou de 34 projectos do PIIM, avaliados em Akz 26 mil milhões, 177 milhões, 692 mil, 608 e 91 cêntimos, dos quais 24 de subordinação local e 10 sob a alçada dos Ministérios do Ordenamento do Território e Habitação, Energia e Águas, Interior e Administração do Território.

Dos 24 projectos de âmbito local, 19 estão em execução, desde Maio do ano transacto, nos municípios de Mbanza Kongo, Soyo, Tomboco, Nzeto, Cuimba e Nóqui e que já consumiram Akz mil milhão, 152 milhões, 482 mil, 683 e 95 cêntimos.

O pacote a nível local inscreve obras nos domínios da educação, saneamento básico e água potável.

Até a presente data, nenhum dos 10 projectos de alçada dos departamentos ministeriais teve já início na região, cujo pacote consome o grosso do financiamento, Akz 19 mil milhões, 44 milhões, 263 mil, 744 e 80 cêntimos.

Das acções a serem desenvolvidas pelos órgãos centrais figuram, a construção da ponte sobre o rio Mboba, no município do Cuimba, reabilitação e pavimentação das vias urbanas na vila do Nóqui, construção de infra-estruturas integradas no Nzeto e de uma esquadra policial no Soyo.

Os referidos ministérios deverão ainda construir e apetrechar complexos residenciais administrativos nos municípios do Tomboco e Nóqui, um complexo escolar do ensino secundário em Mbanza Kongo e reabilitar e expandir as redes eléctricas de pequena e média tensão, nesta cidade.

Quando todos estes projectos, tanto do âmbito local como central, estiverem a ser executados deverão criar um total de 597 postos de trabalho directos, segundo a fonte.

O director do Gepe do governo do Zaire disse que a subida os preços dos materiais de construção tem sido a principal preocupação manifestada pelos empreiteiros que executam obras do PIIM na região.

Por isso, não descartou a possibilidade de se efectuar uma revisão de alguns contratos, que poderão culminar com um reajustamento financeiro, por parte dos órgãos centrais do Estado.

A província do Zaire está situada no extremo noroeste de Angola e ocupa uma área de 40 mil e 130 quilómetros quadrados, subdividida em seis municípios e 25 comunas, com uma população estimada em 594 mil e 428 habitantes.