Ravina ameaça destruir Hospital Municipal de Quimbele

  • Governador provincial do Uíge,  José Carvalho da Rocha
  • Progressão de ravina nas proximidades do Hospital Municipal do Quimbele, na província do Uíge
  • Governador da província do Uíge, Carvalho da Rocha
  • Ravina em progressão
  • Progressão de ravina periga Hospital Municipal do Quimbele, na província do Uíge
  • Ravina dificulta circulação
Uíge - Uma ravina de 15 metros de largura e 20 de profundidade ameaça destruir, nos próximos dias, o Hospital Municipal de Quimbele, na província do Uíge, devido à sua rápida progressão, causada pelas chuvas.

A solução passa por uma urgente intervenção para estancar a erosão do solo, a fim de salvaguardar a existência dessa importante infra-estrutura para as populações da província, inaugurada em Março de 2019.

Além do hospital, estão igualmente em risco outras infra-estruturas sociais, como a loja de registos e 20 casas localizadas na vila municipal.

Com 84 camas, o Hospital Municipal de Quimbele tem, entre outros, serviços de cirurgia, raio-x, ginecologia obstetrícia, hemoterapia, laboratório, consultas externas e bloco operatório. Custou mil milhão 440 milhões de Kwanzas, num financiamento da Espanha.

O município tem 16 unidades sanitárias, entre postos e centros médicos, para cerca de 130 mil habitantes.

O governador provincial, José Carvalho da Rocha, trabalhou terça-feira no Quimbele, onde avaliou a progressão da ravina e determinou uma intervenção imediata, para se evitar o pior.

No Quimbele, o governador avaliou igualmente obras de duas escolas, de 12 e sete salas de aulas, inseridas no Plano Integrado de Intervenção dos Municípios (PIIM).

O gabinete de Infra-estruturas e Serviços Técnicos catalogou 37 ravinas neste município, das mais de 150 existentes na província.

Em declarações à imprensa, o responsável local desse gabinete, António de Lima, disse que estão em curso acções paliativas para conter o avanço das ravinas, enquanto se aguarda pela realização de um concurso público para a adjudicação da obra.

 

A solução passa por uma urgente intervenção para estancar a erosão do solo, a fim de salvaguardar a existência dessa importante infra-estrutura para as populações da província, inaugurada em Março de 2019.

Além do hospital, estão igualmente em risco outras infra-estruturas sociais, como a loja de registos e 20 casas localizadas na vila municipal.

Com 84 camas, o Hospital Municipal de Quimbele tem, entre outros, serviços de cirurgia, raio-x, ginecologia obstetrícia, hemoterapia, laboratório, consultas externas e bloco operatório. Custou mil milhão 440 milhões de Kwanzas, num financiamento da Espanha.

O município tem 16 unidades sanitárias, entre postos e centros médicos, para cerca de 130 mil habitantes.

O governador provincial, José Carvalho da Rocha, trabalhou terça-feira no Quimbele, onde avaliou a progressão da ravina e determinou uma intervenção imediata, para se evitar o pior.

No Quimbele, o governador avaliou igualmente obras de duas escolas, de 12 e sete salas de aulas, inseridas no Plano Integrado de Intervenção dos Municípios (PIIM).

O gabinete de Infra-estruturas e Serviços Técnicos catalogou 37 ravinas neste município, das mais de 150 existentes na província.

Em declarações à imprensa, o responsável local desse gabinete, António de Lima, disse que estão em curso acções paliativas para conter o avanço das ravinas, enquanto se aguarda pela realização de um concurso público para a adjudicação da obra.