Resgatados últimos corpos de vítimas do rio Cutembo

  • Huíla: Viaturas arrastadas no leito do rio Cutembo
Quilengues – O corpo de uma criança e de sua mãe, desaparecidos desde a semana passada, após a viatura em que seguiam ter sido arrastada pela correnteza no rio Cutembo, zona limítrofe entre a Huíla e Benguela, foram resgatados pelos Bombeiros, no último fim-de-semana.

Deste modo, confirma-se o saldo de três mortos e dois sobreviventes do acidente.

O corpo da menor de um ano foi encontrado no sábado por volta das 14 horas e um dia depois o da mãe, pelas 13h30, tratando-se de uma jovem de 19 anos, natural do Cunene.

Na passada quinta-feira, um dia após o acidente, tinha sido resgatado o corpo de um homem de 44 anos de idade.

Falando hoje, segunda-feira, à Angop, o porta-voz em exercício do corpo de bombeiros da Huíla, Nelson Mário, voltou a apelar aos automobilista à máxima prudência nesta época em que as chuvas caem com intensidade.

As chuvas fizeram transbordar o rio e arrastaram pela quarta vez este ano a passagem hidráulica provisória, a escassos metros do local onde está a ser erguida, desde 2020, a nova ponte em betão.

A impaciência de alguns automobilistas, sobretudo taxistas, os leva a arriscar a travessia no leito do rio.

Na última quarta-feira, foram arrastadas pela correnteza uma carrinha de marca Fuso e um Toyota Land Cruiser, este último que resultou na tragédia.

 

Deste modo, confirma-se o saldo de três mortos e dois sobreviventes do acidente.

O corpo da menor de um ano foi encontrado no sábado por volta das 14 horas e um dia depois o da mãe, pelas 13h30, tratando-se de uma jovem de 19 anos, natural do Cunene.

Na passada quinta-feira, um dia após o acidente, tinha sido resgatado o corpo de um homem de 44 anos de idade.

Falando hoje, segunda-feira, à Angop, o porta-voz em exercício do corpo de bombeiros da Huíla, Nelson Mário, voltou a apelar aos automobilista à máxima prudência nesta época em que as chuvas caem com intensidade.

As chuvas fizeram transbordar o rio e arrastaram pela quarta vez este ano a passagem hidráulica provisória, a escassos metros do local onde está a ser erguida, desde 2020, a nova ponte em betão.

A impaciência de alguns automobilistas, sobretudo taxistas, os leva a arriscar a travessia no leito do rio.

Na última quarta-feira, foram arrastadas pela correnteza uma carrinha de marca Fuso e um Toyota Land Cruiser, este último que resultou na tragédia.