Rui Falcão convida académicos para desenvolvimento do Lobito

  • Caminhos de ferro de Benguela
Lobito - O governador de Benguela, Rui Falcão, convidou, nesta quinta-feira, os académicos a contribuirem na redinamização de estratégias para o desenvolvimento da cidade do Lobito.

Discursando na abertura do primeiro fórum municipal sobre cidadania e urbanismo, afirmou que a investigação científica pode trazer um apoio muito mais rico ao desenvolvimento da cidade.

Na sua opinião, o Lobito é uma das cidades do litoral de Benguela que tem a felicidade de ter infra-estruturas necessárias à viabilidade do “Corredor do Lobito”.

“Não basta falar do Corredor do Lobito se não agregarmos ao debate a necessidade de criação de uma plataforma logística, que assegure o desenvolvimento da zona norte e sul de Angola e daí exponenciar o crescimento económico por via da classe empresarial privada”, alertou.

O governador referiu-se também ao aumento da pressão demográfica, cada vez que melhora qualquer sector da província, particularmente na zona litoral.

Segundo Rui Falcão, o sector empresarial regista crescimento, com o surgimento de indústrias de grande porte.

“É preciso começarmos a avaliar os reais ganhos que temos com a presença do Porto Comercial do Lobito, do Caminho-de-Ferro de Benguela e do Aeroporto da Catumbela”, sublinhou.

Durante o evento de dois dias, assistiu-se a assinatura de protocolos entre a Administração local e os Institutos Superior Politécnico Católico de Benguela (ISPOCAB) e Superior Politécnico Lusíada de Benguela (ISPLB).

O fórum, realizado sob o lema "cidadania e urbanismo, um olhar sobre a recuperação integrada da cidade do Lobito", tem agendado, entre outros assuntos, a abordagem sobre o Corredor do Lobito como instrumento de desenvolvimento, a arquitetura do sistema viário do município e sua requalificação e a degradação das vias e o seu impacto na economia local.

Discursando na abertura do primeiro fórum municipal sobre cidadania e urbanismo, afirmou que a investigação científica pode trazer um apoio muito mais rico ao desenvolvimento da cidade.

Na sua opinião, o Lobito é uma das cidades do litoral de Benguela que tem a felicidade de ter infra-estruturas necessárias à viabilidade do “Corredor do Lobito”.

“Não basta falar do Corredor do Lobito se não agregarmos ao debate a necessidade de criação de uma plataforma logística, que assegure o desenvolvimento da zona norte e sul de Angola e daí exponenciar o crescimento económico por via da classe empresarial privada”, alertou.

O governador referiu-se também ao aumento da pressão demográfica, cada vez que melhora qualquer sector da província, particularmente na zona litoral.

Segundo Rui Falcão, o sector empresarial regista crescimento, com o surgimento de indústrias de grande porte.

“É preciso começarmos a avaliar os reais ganhos que temos com a presença do Porto Comercial do Lobito, do Caminho-de-Ferro de Benguela e do Aeroporto da Catumbela”, sublinhou.

Durante o evento de dois dias, assistiu-se a assinatura de protocolos entre a Administração local e os Institutos Superior Politécnico Católico de Benguela (ISPOCAB) e Superior Politécnico Lusíada de Benguela (ISPLB).

O fórum, realizado sob o lema "cidadania e urbanismo, um olhar sobre a recuperação integrada da cidade do Lobito", tem agendado, entre outros assuntos, a abordagem sobre o Corredor do Lobito como instrumento de desenvolvimento, a arquitetura do sistema viário do município e sua requalificação e a degradação das vias e o seu impacto na economia local.