Secretária-geral da OMA trabalha em Viana, Cacuaco e Cazenga

Luanda- A secretária-geral da OMA, Joana Tomás, trabalhou hoje, segunda- feira, nos municípios de Viana, Cacuaco e Cazenga, onde fez o diagnóstico da vida interna da organização, dos Centros de aconselhamento jurídico e alfabetização e apelou para a denúncia dos casos de violência sexual contra à criança.

Em Viana apelou  às mulheres no sentido de reforçar as denúncias dos  abusos sexuais contra à criança, pois 
os casos são evidentes no município de Viana, dados relatados  pelos  órgãos de comunicação social.

Explicou que os autores dos actos são, na maioria, familiares que coabitam com os pequenos ou pessoas próximas dos seus familiares, situação  que, infelizmente, leva com que muitas mães protejam os prevaricadores. 
  
O consumo excessivo de álcool pelas mulheres foi,igualmente, uma das situações debatidas no encontro, tendo a secretária-geral  alertado que tal situação tem desestabilizado os relacionamentos familiares.

No Cazenga, Joana Tomás foi informada que 259 alunos, dos 423 matriculados no presente ciclo formativo nas salas de alfabetização da OMA,  aprenderam a ler e a escrever,

A informação foi passada pela 
 responsável  do ensino de adultos da repartição local da educação, Amélia Vitorino, esclarecendo que deste número 164 desistiram, por causa do preconceito como a idade, principalmente  os homens. 

Amélia Vitorino fez saber que pelo menos 15 mil alunos serão alfabetizados, no próximo ciclo lectivo e esforços têm sido envidados para mobilizar o maior número  de pessoas para serem enquadradas  nas aulas de alfabetização.

Por sua vez, a secretária-geral da OMA, Joana Tomás espera poder contar com o apoio e empenho de todas os vendedores, entre zungeiras e peixeiras,  para a erradicação do analfabetismo, principalmente nos  mercados onde existem mais mulheres.

Em Viana apelou  às mulheres no sentido de reforçar as denúncias dos  abusos sexuais contra à criança, pois 
os casos são evidentes no município de Viana, dados relatados  pelos  órgãos de comunicação social.

Explicou que os autores dos actos são, na maioria, familiares que coabitam com os pequenos ou pessoas próximas dos seus familiares, situação  que, infelizmente, leva com que muitas mães protejam os prevaricadores. 
  
O consumo excessivo de álcool pelas mulheres foi,igualmente, uma das situações debatidas no encontro, tendo a secretária-geral  alertado que tal situação tem desestabilizado os relacionamentos familiares.

No Cazenga, Joana Tomás foi informada que 259 alunos, dos 423 matriculados no presente ciclo formativo nas salas de alfabetização da OMA,  aprenderam a ler e a escrever,

A informação foi passada pela 
 responsável  do ensino de adultos da repartição local da educação, Amélia Vitorino, esclarecendo que deste número 164 desistiram, por causa do preconceito como a idade, principalmente  os homens. 

Amélia Vitorino fez saber que pelo menos 15 mil alunos serão alfabetizados, no próximo ciclo lectivo e esforços têm sido envidados para mobilizar o maior número  de pessoas para serem enquadradas  nas aulas de alfabetização.

Por sua vez, a secretária-geral da OMA, Joana Tomás espera poder contar com o apoio e empenho de todas os vendedores, entre zungeiras e peixeiras,  para a erradicação do analfabetismo, principalmente nos  mercados onde existem mais mulheres.