Cunhinga limitado no fornecimento de energia há seis meses

Cunhinga – Mais de mil consumidores estão privados de energia eléctrica há cerca de seis meses na sede municipal do Cunhinga, província do Bié, devido a uma avaria em três grupos geradores que abastem a urbe.

A informação foi avançada hoje à ANGOP, pelo director municipal da energia e águas, Tiago Gonçalves Bernardo, tendo avançado que a situação está a criar muitos problemas às populações, sobretudo na conservação dos frescos e outros bens de consumo.

Além dos populares, as instituições públicas e privados também estão a encontrar vários constrangimentos na execução dos trabalhos, devido à falta deste bem.

Tiago Gonçalves Bernardo salientou que a administração municipal tem efectuado esforços no sentido de recuperar os mesmos grupos, mas devido à falta de acessórios no mercado nacional o problema está a prevalecer muito tempo.

Neste momento, segundo o responsável, a sede municipal apenas se dispõe de um gerador de 400 KVA, que abastece o sistema de iluminação pública.

Antes da avaria dos grupos geradores, a sede municipal tinha uma capacidade de fornecimento de energia eléctrica de 1000 KVA.

Tiago Gonçalves Bernardo disse que o sector de energia e água no Cunhinga priorizou a iluminação pública, na pouca capacidade que possui actualmente, para garantir a segurança pública.

A informação foi avançada hoje à ANGOP, pelo director municipal da energia e águas, Tiago Gonçalves Bernardo, tendo avançado que a situação está a criar muitos problemas às populações, sobretudo na conservação dos frescos e outros bens de consumo.

Além dos populares, as instituições públicas e privados também estão a encontrar vários constrangimentos na execução dos trabalhos, devido à falta deste bem.

Tiago Gonçalves Bernardo salientou que a administração municipal tem efectuado esforços no sentido de recuperar os mesmos grupos, mas devido à falta de acessórios no mercado nacional o problema está a prevalecer muito tempo.

Neste momento, segundo o responsável, a sede municipal apenas se dispõe de um gerador de 400 KVA, que abastece o sistema de iluminação pública.

Antes da avaria dos grupos geradores, a sede municipal tinha uma capacidade de fornecimento de energia eléctrica de 1000 KVA.

Tiago Gonçalves Bernardo disse que o sector de energia e água no Cunhinga priorizou a iluminação pública, na pouca capacidade que possui actualmente, para garantir a segurança pública.