Setenta e cinco mil pessoas terão água canalizada no Luena

  • Moxico: Lançamento do Projecto da Ampliação da rede de abastecimento e distribuição das Águas
Luena – Setenta e cinco mil pessoas, que vivem nos arredores da cidade do Luena, província do Moxico, terão água canalizada dentro de três anos, com o início, este sábado, do processo de instalação de 15 mil novas ligações domiciliares.

Com o lançamento da primeira pedra para a construção da tubagem de abastecimento de água, ocorrida no bairro Social da Juventude, as obras terão a duração de 36 meses (três anos) e vão custar um mil milhão e 626 milhões de kwanzas.

O projecto do Ministério da Energia e Água e financiado pelo Banco Mundial, vai beneficiar as populações dos bairros Social da Juventude, Sawambo, Sinai Novo, Vila Luso, Sangondo, Aço Bomba e Kwenha.

O projecto de ligações domiciliárias decorre no âmbito da segunda fase do Projecto de Desenvolvimento (PDISA II), que tem como finalidade ampliar a rede de abastecimento e distribuição de água em sete bairros peri-urbanos do Luena.

Na primeira fase do Projecto de Desenvolvimento (PDISA I) tinham sido realizadas cerca sete mil 500 ligações domiciliárias, beneficiando 37 mil pessoas.

A empreitada permitiu criar 150 postos de emprego dos quais 135 para jovens locais, na sua maioria residentes nos referidos bairros contemplados.

A cidade do Luena tem um sistema de abastecimento de água composto por dois pela Estação e Tratamento de Água (ETA) do rio Lumege, situada no bairro Social, e do centro de distribuição do bairro Tchifuctchi.

Para o governador provincial do Moxico, Gonçalves Muandumba, o lançamento da PDISAII é um momento “bastante esperado e importante” para a vida da população.

 “Com estas 15 mil ligações domiciliares, vamos ficar próximo de beneficiar o número previsto, de mais de 250 mil pessoas”, disse, detalhando o projecto que, com o termo desta segunda fase, vai beneficiar 112 mil pessoas.

Na ocasião, o fiscal de obra, Arão ferreira, lamentou as constantes vandalizações de contadores, que disse ser “situações difíceis de se controlar”, por isso, pensam instalar contadores em material de polímero dentro das residências ao invés de metal.

Contadores Vandalizados no Luena

O Presidente do Conselho de Administração da Empresa Pública de Águas e Saneamento (EPAS) do Moxico, Eurico Jorge, em declarações à Angop, disse que a onda de vandalização dos contadores já atingiu os 30 por cento.

Eurico Jorge, que falava à margem do acto, disse que foram vandalizados, na cidade do Luena, dois mil contadores, e, para contrapor a situação, têm sensibilizado a população a manterem-se mais vigilantes.

Moradores comprometidos com a obra

A moradora do bairro Social da Juventude Zona/B, Ângela Kutemba, destacou a iniciativa do governo, pois está há seis anos que compra água nos camiões cisternas.

Mariana Tchilombo, outra moradora, comprometeu-se em ajudar na vigilância de toda obra e denunciar possíveis vândalos.

Com o lançamento da primeira pedra para a construção da tubagem de abastecimento de água, ocorrida no bairro Social da Juventude, as obras terão a duração de 36 meses (três anos) e vão custar um mil milhão e 626 milhões de kwanzas.

O projecto do Ministério da Energia e Água e financiado pelo Banco Mundial, vai beneficiar as populações dos bairros Social da Juventude, Sawambo, Sinai Novo, Vila Luso, Sangondo, Aço Bomba e Kwenha.

O projecto de ligações domiciliárias decorre no âmbito da segunda fase do Projecto de Desenvolvimento (PDISA II), que tem como finalidade ampliar a rede de abastecimento e distribuição de água em sete bairros peri-urbanos do Luena.

Na primeira fase do Projecto de Desenvolvimento (PDISA I) tinham sido realizadas cerca sete mil 500 ligações domiciliárias, beneficiando 37 mil pessoas.

A empreitada permitiu criar 150 postos de emprego dos quais 135 para jovens locais, na sua maioria residentes nos referidos bairros contemplados.

A cidade do Luena tem um sistema de abastecimento de água composto por dois pela Estação e Tratamento de Água (ETA) do rio Lumege, situada no bairro Social, e do centro de distribuição do bairro Tchifuctchi.

Para o governador provincial do Moxico, Gonçalves Muandumba, o lançamento da PDISAII é um momento “bastante esperado e importante” para a vida da população.

 “Com estas 15 mil ligações domiciliares, vamos ficar próximo de beneficiar o número previsto, de mais de 250 mil pessoas”, disse, detalhando o projecto que, com o termo desta segunda fase, vai beneficiar 112 mil pessoas.

Na ocasião, o fiscal de obra, Arão ferreira, lamentou as constantes vandalizações de contadores, que disse ser “situações difíceis de se controlar”, por isso, pensam instalar contadores em material de polímero dentro das residências ao invés de metal.

Contadores Vandalizados no Luena

O Presidente do Conselho de Administração da Empresa Pública de Águas e Saneamento (EPAS) do Moxico, Eurico Jorge, em declarações à Angop, disse que a onda de vandalização dos contadores já atingiu os 30 por cento.

Eurico Jorge, que falava à margem do acto, disse que foram vandalizados, na cidade do Luena, dois mil contadores, e, para contrapor a situação, têm sensibilizado a população a manterem-se mais vigilantes.

Moradores comprometidos com a obra

A moradora do bairro Social da Juventude Zona/B, Ângela Kutemba, destacou a iniciativa do governo, pois está há seis anos que compra água nos camiões cisternas.

Mariana Tchilombo, outra moradora, comprometeu-se em ajudar na vigilância de toda obra e denunciar possíveis vândalos.