SIC regista redução da criminalidade no Cuanza Norte

Ndalatando – Mil e 859 crimes de natureza diversa foram registados, em 2020, na província do Cuanza Norte, menos 290 em relação ao ano anterior.

Segundo uma nota da corporação chegada hoje, terça-feira, a ANGOP, durante o período em análise foram detidos 1.279 cidadãos, indiciados na prática dos crimes de ofensas corporais, furto, roubo, violação e homicídio, mais 185 indivíduos em relação a 2019.

De acordo com o relatório, o município do Cazengo, sede provincial, com   1.161 crimes,  foi o mais delituoso, seguido de Cambambe (232), Ambaca (206), Golungo Alto (63 delitos), Samba Cajú (59) e Quiculungo (53).

Em relação à sinistralidade rodoviária, a fonte aponta o registo de 813 acidentes de viação, que resultaram em 107 mortos e 301 feridos, ocorridos nos municípios de Cazengo, Cambambe, Ambaca, Golungo Alto, Lucala, Samba Cajú e Banga.

Situada na região Centro-Norte do país, a 190 quilómetros de Luanda, a província do Cuanza Norte conta com uma população estimada em 443 mil e 386 habitantes, distribuídos em 10 municípios.

 

 

Segundo uma nota da corporação chegada hoje, terça-feira, a ANGOP, durante o período em análise foram detidos 1.279 cidadãos, indiciados na prática dos crimes de ofensas corporais, furto, roubo, violação e homicídio, mais 185 indivíduos em relação a 2019.

De acordo com o relatório, o município do Cazengo, sede provincial, com   1.161 crimes,  foi o mais delituoso, seguido de Cambambe (232), Ambaca (206), Golungo Alto (63 delitos), Samba Cajú (59) e Quiculungo (53).

Em relação à sinistralidade rodoviária, a fonte aponta o registo de 813 acidentes de viação, que resultaram em 107 mortos e 301 feridos, ocorridos nos municípios de Cazengo, Cambambe, Ambaca, Golungo Alto, Lucala, Samba Cajú e Banga.

Situada na região Centro-Norte do país, a 190 quilómetros de Luanda, a província do Cuanza Norte conta com uma população estimada em 443 mil e 386 habitantes, distribuídos em 10 municípios.