Feridos do acidente de Chinguar fora de perigo

Cuito – Cinco dos 12 feridos do acidente de viação de terça-feira, no troço Cuito/Chinguar (EN 250), que causou a morte imediata de seis pessoas no local, receberam alta médica por melhoria, nesta quarta-feira, a partir do Hospital Provincial Dr.“Walter Stranguay”.

A chefe do Banco de Urgência daquela unidade sanitária, Emília Paulina Satunga, confirmou à Angop continuarem na instituição apenas dois pacientes graves, enquanto outros, com ferimentos ligeiros, beneficiam de assistência no antigo Hospital Central.

Segundo testemunhas, o acidente ocorreu nas imediações do rio Cuchi, quando uma viatura de marca Hyace, em que se faziam transportar as vítimas, embateu contra uma outra ligeira, que vinha em sentido oposto.

Depois de confirmar a morte imediata de seis pessoas no local, fonte da Polícia Nacional (PN) admitiu à Angop estar na base do sinistro o excesso de velocidade, apelando prudência aos automobilistas.

Esta é a segunda vez, num espaço de um ano, que se regista acidente similar no troço Cuito-Chinguar (EN 250).

Com várias zonas esburacadas, o último acidente de viação ocorreu em Outubro de 2019 com registo de sete mortes e 10 feridos.

A chefe do Banco de Urgência daquela unidade sanitária, Emília Paulina Satunga, confirmou à Angop continuarem na instituição apenas dois pacientes graves, enquanto outros, com ferimentos ligeiros, beneficiam de assistência no antigo Hospital Central.

Segundo testemunhas, o acidente ocorreu nas imediações do rio Cuchi, quando uma viatura de marca Hyace, em que se faziam transportar as vítimas, embateu contra uma outra ligeira, que vinha em sentido oposto.

Depois de confirmar a morte imediata de seis pessoas no local, fonte da Polícia Nacional (PN) admitiu à Angop estar na base do sinistro o excesso de velocidade, apelando prudência aos automobilistas.

Esta é a segunda vez, num espaço de um ano, que se regista acidente similar no troço Cuito-Chinguar (EN 250).

Com várias zonas esburacadas, o último acidente de viação ocorreu em Outubro de 2019 com registo de sete mortes e 10 feridos.