Taxa de desemprego cifrada em 30,6 % no quarto trimestre de 2020

  • Vista parcial do interior da fábrica de conserva no Namíbe.
 Luanda - A taxa de desemprego em Angola, no quarto trimestre de 2020, fixou-se em 30,6 %, uma diminuição de 8,9 % em relação ao trimestre anterior.

De acordo com os dados sobre o desempenho do desemprego e emprego em Angola, registados no quarto trimestre de 2020, divulgado hoje, terça-feira, em Luanda, pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), a taxa de desemprego foi estimada em quatro milhões 747 mil e 622 pessoas, com maior cifra para os 15 aos 24 anos de idade.

Os dados avançados pela directora-geral Instituto Nacional de Estatística (INE), Chaney Rosa John, apontam o aumento da taxa de emprego em 3,1 % em relação ao trimestre anterior, com maior realce nas áreas urbana  em 2,8% e rural em 3,3%.

A população empregada aumentou em 8.3%, sendo que mais da metade da mesma encontra-se no sector da agricultura, produção animal, caça e pesca, um total de seis milhões 34 mil e 744 pessoas.

Apontou o sector do comércio a retalho e grossista, com 19,4%, que corresponde a dois milhões 87 mil e 506, como o que também mais empregou.

Entre os sectores que menos empregaram estão as actividades financeiras, imobiliária e de consultoria com 0,6%, correspondendo a 70 mil e 296 pessoas.

O grupo etário com a maior taxa de empregabilidade varia entre os 35 e 54 anos de idade.

De acordo com os dados sobre o desempenho do desemprego e emprego em Angola, registados no quarto trimestre de 2020, divulgado hoje, terça-feira, em Luanda, pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), a taxa de desemprego foi estimada em quatro milhões 747 mil e 622 pessoas, com maior cifra para os 15 aos 24 anos de idade.

Os dados avançados pela directora-geral Instituto Nacional de Estatística (INE), Chaney Rosa John, apontam o aumento da taxa de emprego em 3,1 % em relação ao trimestre anterior, com maior realce nas áreas urbana  em 2,8% e rural em 3,3%.

A população empregada aumentou em 8.3%, sendo que mais da metade da mesma encontra-se no sector da agricultura, produção animal, caça e pesca, um total de seis milhões 34 mil e 744 pessoas.

Apontou o sector do comércio a retalho e grossista, com 19,4%, que corresponde a dois milhões 87 mil e 506, como o que também mais empregou.

Entre os sectores que menos empregaram estão as actividades financeiras, imobiliária e de consultoria com 0,6%, correspondendo a 70 mil e 296 pessoas.

O grupo etário com a maior taxa de empregabilidade varia entre os 35 e 54 anos de idade.