Bairros periféricos do Soyo voltam a beneficiar de água potável

Soyo – Cerca de mil famílias dos bairros periféricos da cidade do Soyo, província do Zaire, voltaram, na terça-feira, a beneficiar de água potável, 18 anos depois da interrupção dos serviços de distribuição.

Trata-se dos moradores dos bairros Pangala, Mongo-Soyo, Kimpangi, Mpungo, Mpinga Garra e Pungo, periferia da cidade do Soyo.

Em declarações à ANGOP, o administrador municipal adjunto para a área técnica, infra-estruturas e serviços comunitários, Adelino Domingos Nkai, explicou que foram reabilitados 21 dos 170 chafarizes que se encontram avariados, no quadro do programa Integrado de Desenvolvimento Local e Combate à Pobreza.

Sem avançar custos, adiantou que a reabilitação dos chafarizes tiveram início em Abril do ano em curso, a cargo da empresa Grupo Elenvo.

Conforme o responsável,  em reabilitação estão seis chafarizes no bairro Kintambi, devendo entrarem em funcionamento a partir do próximo sábado.

Até Dezembro do ano em curso, adiantou, todos os chafarizes que se encontram inoperantes nos bairros periféricos da cidade do Soyo estarão operacionais.

O actual sistema de captação, tratamento e distribuição de água potável do Soyo atende cerca de sete mil consumidores, num universo de 208 mil e 497 habitantes.

Trata-se dos moradores dos bairros Pangala, Mongo-Soyo, Kimpangi, Mpungo, Mpinga Garra e Pungo, periferia da cidade do Soyo.

Em declarações à ANGOP, o administrador municipal adjunto para a área técnica, infra-estruturas e serviços comunitários, Adelino Domingos Nkai, explicou que foram reabilitados 21 dos 170 chafarizes que se encontram avariados, no quadro do programa Integrado de Desenvolvimento Local e Combate à Pobreza.

Sem avançar custos, adiantou que a reabilitação dos chafarizes tiveram início em Abril do ano em curso, a cargo da empresa Grupo Elenvo.

Conforme o responsável,  em reabilitação estão seis chafarizes no bairro Kintambi, devendo entrarem em funcionamento a partir do próximo sábado.

Até Dezembro do ano em curso, adiantou, todos os chafarizes que se encontram inoperantes nos bairros periféricos da cidade do Soyo estarão operacionais.

O actual sistema de captação, tratamento e distribuição de água potável do Soyo atende cerca de sete mil consumidores, num universo de 208 mil e 497 habitantes.