Campanha de massificação do BI chega às zonas rurais no Zaire

Mbanza Kongo – Três mil e 895 Bilhetes de Identidade (B.I), dos cinco mil e 383 emitidos de Janeiro até à presente data, pelo Arquivo de Identificação Civil e Criminal do Zaire, foram atribuídos a cidadãos residentes em zonas rurais.

Em declarações esta quarta-feira à ANGOP, o chefe do Departamento do Arquivo de Identificação Civil e Criminal, Paixão Gouveia, precisou que as comunas de Luvo, Madimba, Kalambata e Nkiende, no município de Mbanza Kongo, foram as beneficiadas nesta fase.

A atribuição gratuita destes documentos de cidadania nacional foi no âmbito da campanha nacional de massificação de registo civil e atribuição de bilhete de identidade, que nesta região do país teve início em Novembro de 2019.

De Novembro de 2019 até à presente data, segundo o responsável, o Zaire atribuiu 46 mil e 196 Bilhetes de Identidade a cidadãos nacionais.

A campanha decorre sob a égide do Ministério da Justiça e dos Direitos Humanos, em todo o território nacional, cujo término está previsto para Setembro de 2022.

A nível do Zaire a estimativa é de atribuir cerca de 92 mil bilhetes de identidade.

Paixão Gouveia considera o atraso na atribuição de atestados de residência aos requerentes, por parte das regedorias locais, como principal dificuldade.

Um universo de 14 postos de recolha de dados foram criados, a nível dos seis municípios, dos quais seis fixos, compostos por quatro a cinco técnicos cada.

 

 

Em declarações esta quarta-feira à ANGOP, o chefe do Departamento do Arquivo de Identificação Civil e Criminal, Paixão Gouveia, precisou que as comunas de Luvo, Madimba, Kalambata e Nkiende, no município de Mbanza Kongo, foram as beneficiadas nesta fase.

A atribuição gratuita destes documentos de cidadania nacional foi no âmbito da campanha nacional de massificação de registo civil e atribuição de bilhete de identidade, que nesta região do país teve início em Novembro de 2019.

De Novembro de 2019 até à presente data, segundo o responsável, o Zaire atribuiu 46 mil e 196 Bilhetes de Identidade a cidadãos nacionais.

A campanha decorre sob a égide do Ministério da Justiça e dos Direitos Humanos, em todo o território nacional, cujo término está previsto para Setembro de 2022.

A nível do Zaire a estimativa é de atribuir cerca de 92 mil bilhetes de identidade.

Paixão Gouveia considera o atraso na atribuição de atestados de residência aos requerentes, por parte das regedorias locais, como principal dificuldade.

Um universo de 14 postos de recolha de dados foram criados, a nível dos seis municípios, dos quais seis fixos, compostos por quatro a cinco técnicos cada.