Mbanza Kongo ganha aterro sanitário

Mbanza Kongo –O governo provincial do Zaire prevê, para o primeiro semestre de 2021, a construção de um aterro sanitário para o depósito e tratamento de resíduos sólidos urbanos, em Mbanza Kongo.

A decisão saiu da 3ª reunião do conselho municipal de auscultação da comunidade realizado terça-feira nesta cidade sob a orientação do administrador municipal de Mbanza Kongo, Manuel Nsiansoki Gomes.

Em declarações à ANGOP, o administrador municipal adjunto para a área técnica, infra-estruturas e serviços comunitários, Osvaldo João Neves, disse ter sido já identificada uma área de cinco hectares na localidade do Lambu, a dois quilómetros a leste da cidade de Mbanza Kongo.

Segundo ainda o responsável, o projecto foi já submetido ao governo provincial para a sua aprovação e a consequente cabimentação financeira.

Enquanto se aguarda pela implementação deste projecto, prosseguiu, a administração municipal vai solicitar o apoio de máquinas da Brigada Provincial de Conservação e Manutenção de Estradas para a realização de trabalhos paliativos no espaço onde será erguido o aludido aterro sanitário.

Este poderá vir a ser o primeiro aterro sanitário para a cidade de Mbanza Kongo, desde a independência nacional. Actualmente, o lixo é recolhido e depositado em locais inapropriados, o que constitui uma ameaça à saúde pública.

A 3ª reunião do conselho municipal de auscultação da comunidade, que envolve cidadãos de vários estratos sociais, abordou temas relativos à vida social e económica do município sede.

O município de Mbanza Kongo tem uma população estimada em 155 mil e 174 habitantes distribuídos em cinco bairros: Sagrada Esperança, Martins Kidito, Álvaro Buta, 11 de Novembro e 4 de Fevereiro.

 

A decisão saiu da 3ª reunião do conselho municipal de auscultação da comunidade realizado terça-feira nesta cidade sob a orientação do administrador municipal de Mbanza Kongo, Manuel Nsiansoki Gomes.

Em declarações à ANGOP, o administrador municipal adjunto para a área técnica, infra-estruturas e serviços comunitários, Osvaldo João Neves, disse ter sido já identificada uma área de cinco hectares na localidade do Lambu, a dois quilómetros a leste da cidade de Mbanza Kongo.

Segundo ainda o responsável, o projecto foi já submetido ao governo provincial para a sua aprovação e a consequente cabimentação financeira.

Enquanto se aguarda pela implementação deste projecto, prosseguiu, a administração municipal vai solicitar o apoio de máquinas da Brigada Provincial de Conservação e Manutenção de Estradas para a realização de trabalhos paliativos no espaço onde será erguido o aludido aterro sanitário.

Este poderá vir a ser o primeiro aterro sanitário para a cidade de Mbanza Kongo, desde a independência nacional. Actualmente, o lixo é recolhido e depositado em locais inapropriados, o que constitui uma ameaça à saúde pública.

A 3ª reunião do conselho municipal de auscultação da comunidade, que envolve cidadãos de vários estratos sociais, abordou temas relativos à vida social e económica do município sede.

O município de Mbanza Kongo tem uma população estimada em 155 mil e 174 habitantes distribuídos em cinco bairros: Sagrada Esperança, Martins Kidito, Álvaro Buta, 11 de Novembro e 4 de Fevereiro.