Secretário de Estado reitera acções na expansão dos sinais da rádio e televisão

  • Secretário de Estado para a Comunicação Social, Nuno Caldas Albino, no acto de lançamento do jornal Nkanda, da  Edições Novembro
Mbanza Kongo – O secretário de Estado para a Comunicação Social, Nuno Caldas Albino, reiterou, este sábado, em Mbanza Kongo, província do Zaire, as acções do Executivo na expansão dos sinais da rádio e televisão e distribuição de jornais.

Ao intervir no acto de lançamento do título regional “Nkanda”, propriedade da empresa Edições Novembro, Nuno Caldas Albino disse estarem em curso programas de melhoria e expansão dos sinais de rádio e televisão, em todos os municípios do país.

“Constatamos que, aqui na província do Zaire existem muitas debilidades, sobretudo ao nível do sinal da rádio, um quadro que prometemos alterar nos próximos dias”, prometeu.

Disse que o jornal “Nkanda” constitui um espaço de diálogo, cidadania e de participação dos cidadãos, por abordar, de forma aprofundada, questões que se prendem com a vida política, social, económica e cultural das províncias do Zaire, Cabinda e Uíge.

A comunicação social assume um papel insubstituível, na mediação entre governados e governantes, assim como na modelação social, tomando uma posição de um interlocutor directo das preocupações dos cidadãos, recordou.

“A comunicação social é um instrumento material e imaterial, na concretização de um direito consagrado na Constituição da República, que é o direito de informar e de ser informado”, sublinhou.

Para o efeito, salientou, no âmbito da política nacional de informação, o sector decidiu e orientou o serviço público de imprensa a assumir uma abordagem mais inclusiva e participativa, numa estratégia de proximidade e especialidade.

O lançamento do jornal “Nkanda” enquadra-se nas celebrações do 46º aniversário da Edições Novembro, que se assinala hoje (26 de Junho).

O acto foi presenciado por membros do conselho de administração da Edições Novembro, do governo provincial, entidades religiosas e tradicionais, jornalistas, forças da defesa e segurança, entre outros convidados.

A Edições Novembro é ainda proprietária dos títulos Jornal de Angola, Economia e Finanças, Cultura, Jornal dos Desportos, Metropolitano de Luanda, Planalto, Ventos do Sul e Angoleme.

Ao intervir no acto de lançamento do título regional “Nkanda”, propriedade da empresa Edições Novembro, Nuno Caldas Albino disse estarem em curso programas de melhoria e expansão dos sinais de rádio e televisão, em todos os municípios do país.

“Constatamos que, aqui na província do Zaire existem muitas debilidades, sobretudo ao nível do sinal da rádio, um quadro que prometemos alterar nos próximos dias”, prometeu.

Disse que o jornal “Nkanda” constitui um espaço de diálogo, cidadania e de participação dos cidadãos, por abordar, de forma aprofundada, questões que se prendem com a vida política, social, económica e cultural das províncias do Zaire, Cabinda e Uíge.

A comunicação social assume um papel insubstituível, na mediação entre governados e governantes, assim como na modelação social, tomando uma posição de um interlocutor directo das preocupações dos cidadãos, recordou.

“A comunicação social é um instrumento material e imaterial, na concretização de um direito consagrado na Constituição da República, que é o direito de informar e de ser informado”, sublinhou.

Para o efeito, salientou, no âmbito da política nacional de informação, o sector decidiu e orientou o serviço público de imprensa a assumir uma abordagem mais inclusiva e participativa, numa estratégia de proximidade e especialidade.

O lançamento do jornal “Nkanda” enquadra-se nas celebrações do 46º aniversário da Edições Novembro, que se assinala hoje (26 de Junho).

O acto foi presenciado por membros do conselho de administração da Edições Novembro, do governo provincial, entidades religiosas e tradicionais, jornalistas, forças da defesa e segurança, entre outros convidados.

A Edições Novembro é ainda proprietária dos títulos Jornal de Angola, Economia e Finanças, Cultura, Jornal dos Desportos, Metropolitano de Luanda, Planalto, Ventos do Sul e Angoleme.