Correios de Angola aposta na modernização

  • Edifício dos Correios de Angola
Luanda – O Conselho de Administração dos Correios de Angola reafirmou, nesta segunda-feira, o contínuo investimento em novos serviços, na modernização e inovação da empresa.

Em mensagem alusiva ao Dia Nacional dos Correios e Telégrafos de Angola (07 de Dezembro), a empresa aponta como meta crescer, atingir a excelência, criar negócios e estar apoiado nas políticas concernentes à diversificação da economia.

Conforme a instituição, a intenção é criar condições para cobrir 100% do território nacional, levando serviços de qualidade, rápidos e seguros a toda a população.

Destaca ainda como desafios superar as consequências causadas pela crise pandemica da Covid-19, apesar de reconhecer que também existem imensas oportunidades para o sector.

A crise actual, segundo a empresa, causou um crescimento vertiginoso do e-commerce e, por consequente, da demanda de serviços postais.

Enaltece o esforço dos colaboradores que tudo fazem para que as encomendas dos clientes possam ser tratadas e entregues aos destinatários.

Os Correios de Angola por fornecerem um serviço universal, fazem parte de uma cooperativa de 190 correios estatais incumbentes para que se possa enviar e recepcionar as encomendas postais.

O Dia Nacional dos Correios e Telégrafos de Angola é uma data que nasceu em 1798, com o estabelecimento da primeira organização postal em Luanda e Benguela. Nesta altura, a empresa conta com 222 anos de existência.

Angola foi a primeira colónia portuguesa a emitir selos postais, com uma série de seis que entraram em circulação no dia 1 de Julho de 1870.

Na nova era, o primeiro selo do país serviu para assinalar o ano da Independência Nacional, com uma estampilha postal que entrou em circulação no dia 11 de Novembro de 1975.

Em mensagem alusiva ao Dia Nacional dos Correios e Telégrafos de Angola (07 de Dezembro), a empresa aponta como meta crescer, atingir a excelência, criar negócios e estar apoiado nas políticas concernentes à diversificação da economia.

Conforme a instituição, a intenção é criar condições para cobrir 100% do território nacional, levando serviços de qualidade, rápidos e seguros a toda a população.

Destaca ainda como desafios superar as consequências causadas pela crise pandemica da Covid-19, apesar de reconhecer que também existem imensas oportunidades para o sector.

A crise actual, segundo a empresa, causou um crescimento vertiginoso do e-commerce e, por consequente, da demanda de serviços postais.

Enaltece o esforço dos colaboradores que tudo fazem para que as encomendas dos clientes possam ser tratadas e entregues aos destinatários.

Os Correios de Angola por fornecerem um serviço universal, fazem parte de uma cooperativa de 190 correios estatais incumbentes para que se possa enviar e recepcionar as encomendas postais.

O Dia Nacional dos Correios e Telégrafos de Angola é uma data que nasceu em 1798, com o estabelecimento da primeira organização postal em Luanda e Benguela. Nesta altura, a empresa conta com 222 anos de existência.

Angola foi a primeira colónia portuguesa a emitir selos postais, com uma série de seis que entraram em circulação no dia 1 de Julho de 1870.

Na nova era, o primeiro selo do país serviu para assinalar o ano da Independência Nacional, com uma estampilha postal que entrou em circulação no dia 11 de Novembro de 1975.