Huawei apresenta "sucessos" da transformação da indústria digital

  • Transformadores de energia eléctrica
Luanda -  A multinacional de equipamentos para rede de  telecomunicações "Huawei" está a apresentar, em vídeo-conferência, os "casos de sucesso" da transformação digital industrial nos ramos do Petróleo e Gás, Energia, Aeroportos e Finanças, implementados em alguns países.

A conferência, que alberga participantes de vários países, incluindo de Angola, decorre desde o dia 24 e termina a 26 deste mesmo mês, olhando também para o mercado da própria China.

O presidente rotativo da Huawei, Ken Hu, em nota prévia referiu que o processo de aceleração da transformação digital, vale a pena prestar atenção a três tendências, tendo como primeiro foco a digitalização que, no seu entender, está  em aceleração e a se expandindo para as indústrias tradicionais. 

Ken Hu considera, em segundo lugar, o cenário de transformação principal que se está a estendendo dos espaços de escritório para espaços de produção, entrando em uma nova etapa de actualizações inteligentes. 

Já o terceiro lugar, na sua classificação, diz respeito à mudança para a adoção total da núvem que ocorre um há dois anos antes do esperado. 

"A Huawei continuará a inovar em duas áreas, designadamente em Soluções baseadas em tecnologia e em Cenários, para ajudar os clientes em todos os sectores a se tornarem digitais", refere Ken Hu, na mensagem posta no portal da conferência.

Temas como a “Indústria de energia mais inteligente”, “Centrais elétricas inteligentes” (para  possibilitar a transformação digital de empresas geradoras de energia, acelerando a transformação da tributação por meio da digitalização, “Condução de dados para barril”, “Construção totalmente conectada” e “Óleo e gás inteligente” estão em debate.

O evento está a debruçar-se igualmente sobre “Construindo uma rede determinística de transporte "IP", líder mundial para capacitar redes de energia digitais, “padrões para a nova tecnologia de transporte óptico "OSUFlex", que  possibilita a energia digital, e “Tendência da tecnologia digital no setor de petróleo e gás”. 

Sediada na cidade de Shenzhen, província de Guangdong, na China, a Huawei é a maior fornecedora de equipamentos para redes e telecomunicações do mundo, tendo ultrapassado a sueca Ericsson em 2012. A multinacional também opera em Angola, há mais de 10 anos, com investimentos sólidos no país.

A conferência, que alberga participantes de vários países, incluindo de Angola, decorre desde o dia 24 e termina a 26 deste mesmo mês, olhando também para o mercado da própria China.

O presidente rotativo da Huawei, Ken Hu, em nota prévia referiu que o processo de aceleração da transformação digital, vale a pena prestar atenção a três tendências, tendo como primeiro foco a digitalização que, no seu entender, está  em aceleração e a se expandindo para as indústrias tradicionais. 

Ken Hu considera, em segundo lugar, o cenário de transformação principal que se está a estendendo dos espaços de escritório para espaços de produção, entrando em uma nova etapa de actualizações inteligentes. 

Já o terceiro lugar, na sua classificação, diz respeito à mudança para a adoção total da núvem que ocorre um há dois anos antes do esperado. 

"A Huawei continuará a inovar em duas áreas, designadamente em Soluções baseadas em tecnologia e em Cenários, para ajudar os clientes em todos os sectores a se tornarem digitais", refere Ken Hu, na mensagem posta no portal da conferência.

Temas como a “Indústria de energia mais inteligente”, “Centrais elétricas inteligentes” (para  possibilitar a transformação digital de empresas geradoras de energia, acelerando a transformação da tributação por meio da digitalização, “Condução de dados para barril”, “Construção totalmente conectada” e “Óleo e gás inteligente” estão em debate.

O evento está a debruçar-se igualmente sobre “Construindo uma rede determinística de transporte "IP", líder mundial para capacitar redes de energia digitais, “padrões para a nova tecnologia de transporte óptico "OSUFlex", que  possibilita a energia digital, e “Tendência da tecnologia digital no setor de petróleo e gás”. 

Sediada na cidade de Shenzhen, província de Guangdong, na China, a Huawei é a maior fornecedora de equipamentos para redes e telecomunicações do mundo, tendo ultrapassado a sueca Ericsson em 2012. A multinacional também opera em Angola, há mais de 10 anos, com investimentos sólidos no país.