MINTTICS quer Angola como Hub de comunicações na SADC

  • Ministro das Telecomunicações, Tecnologias de Informação e Comunicação Social, Manuel Homem, orienta primeiro Conselho Consultivo do sector, na presença dos secretários de Estado Mário Oliveira e Nuno Carnaval
Luanda – A conectividade e acesso a banda larga no país, a melhoria da qualidade dos serviços e a implementação de novas aplicações, serviços públicos e electrónicos essenciais contribuirão para transformar Angola num “hub” de telecomunicações para a Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC), afirmou, esta sexta-feira, o ministro das Telecomunicações, Tecnologias de Informação e Comunicaçao Social, Manuel Homem.

Conforme o ministro, que falava na sessão de abertura do I conselho consultivo alargado, para o efeito, Angola conta com uma ligação em fibra óptica para Cabinda e que concretiza a integração a rede única africana.

Segundo Manuel Homem, o governo está a empreender, em colaboração com o sector privado, para a concretização do projecto, contando já com mais de 22 mil quilómetros de fibra óptica.

O governante adiantou que, actualmente, o país conta com mais de 14 milhões de assinantes de telefonia móvel, sete milhões de utilizadores de Internet e mais de dois milhões de subscritores de televisão por satélite.

No domínio da estratégia espacial nacional, Manuel Homem destacou o cronograma estabelecido para a construção e colocação em órbita do projecto ANGOSAT-2, um satélite de telecomunicações cujo lançamento em órbita está previsto para 2022.

No domínio da metodologia e geofísica, o ministro disse que está em curso a melhoria da infra-estrutura do Instituto Nacional de Meteorologia e Geofísica com a implementação do seu plano de modernização e instalação de novas estações automáticas para melhorar e reforçar a previsão do tempo e do mar.

Conforme o ministro, que falava na sessão de abertura do I conselho consultivo alargado, para o efeito, Angola conta com uma ligação em fibra óptica para Cabinda e que concretiza a integração a rede única africana.

Segundo Manuel Homem, o governo está a empreender, em colaboração com o sector privado, para a concretização do projecto, contando já com mais de 22 mil quilómetros de fibra óptica.

O governante adiantou que, actualmente, o país conta com mais de 14 milhões de assinantes de telefonia móvel, sete milhões de utilizadores de Internet e mais de dois milhões de subscritores de televisão por satélite.

No domínio da estratégia espacial nacional, Manuel Homem destacou o cronograma estabelecido para a construção e colocação em órbita do projecto ANGOSAT-2, um satélite de telecomunicações cujo lançamento em órbita está previsto para 2022.

No domínio da metodologia e geofísica, o ministro disse que está em curso a melhoria da infra-estrutura do Instituto Nacional de Meteorologia e Geofísica com a implementação do seu plano de modernização e instalação de novas estações automáticas para melhorar e reforçar a previsão do tempo e do mar.