Administração do Moxico defende criação de novas rotas para transportes públicos

  • Administração muncipal do Luena, província do  Moxico
Luena - O administrador do município do Moxico (sede), Quintas Sempieca, defendeu hoje, no Luena, a necessidade de se criar novas rotas para as operadoras de transportes público facilitar a mobilidade da população das zonas norte e sul da periféria da cidade.

Actualmente os transportes públicos circulam em duas rotas, nomeadamente, do lar da terceira idade/tipografia, para os autocarros públicos, e mercado do Zorró/mercado da Baúca e vice-versa, para os taxistas.

Os habitantes da cidade na zona norte e sul, sobretudo os funcionários e estudantes, passam por muitas dificuldades para se locomoverem por escassez de táxis e autocarros públicos, passando a optar por motorizadas, cujo perigo está sempre à espreita.

No encontro que manteve com o presidente da Associação Provincial dos Taxistas ( Aprotaxi), Samuel Natepa, no quadro da política de governação de proximidade da sua administração, o administrador defendeu um realinhamento das rotas de transportes públicos.

Quintas Sempieca afirmou que face ao crescimento de bairros e de população que se regista nos últimos anos na zona norte e sul da cidade, é necessário que as operadoras de táxis, sobretudo os do sector  público, criem novas rotas para satisfazer as necessidades destas populações.


Por outro lado, apontou que a falta de definição de paragens para os autocarros de transporte público e táxis (azul e branco), tem embaraçado o trânsito da cidade capital

Disse que vê com frequência os autocarros e táxis a estacionarem em locais da sua conveniência, constituindo perigo, transgressões administrativas e outras violações do Código de Estrada.

Recomendou, por isso, a promoção de uma circulação rodoviária fiável, rápida, prudente e responsáveis.

A provincia do Moxico controla mais de 10 operadoras de transportes públicos.

Em  2019, as empresas que prestam serviços urbanos, intermunicipal e provincial, receberam 25 autocarros, enquanto no ano seguinte, tiveram outra oferta de outros 10 autocarros.

Actualmente os transportes públicos circulam em duas rotas, nomeadamente, do lar da terceira idade/tipografia, para os autocarros públicos, e mercado do Zorró/mercado da Baúca e vice-versa, para os taxistas.

Os habitantes da cidade na zona norte e sul, sobretudo os funcionários e estudantes, passam por muitas dificuldades para se locomoverem por escassez de táxis e autocarros públicos, passando a optar por motorizadas, cujo perigo está sempre à espreita.

No encontro que manteve com o presidente da Associação Provincial dos Taxistas ( Aprotaxi), Samuel Natepa, no quadro da política de governação de proximidade da sua administração, o administrador defendeu um realinhamento das rotas de transportes públicos.

Quintas Sempieca afirmou que face ao crescimento de bairros e de população que se regista nos últimos anos na zona norte e sul da cidade, é necessário que as operadoras de táxis, sobretudo os do sector  público, criem novas rotas para satisfazer as necessidades destas populações.


Por outro lado, apontou que a falta de definição de paragens para os autocarros de transporte público e táxis (azul e branco), tem embaraçado o trânsito da cidade capital

Disse que vê com frequência os autocarros e táxis a estacionarem em locais da sua conveniência, constituindo perigo, transgressões administrativas e outras violações do Código de Estrada.

Recomendou, por isso, a promoção de uma circulação rodoviária fiável, rápida, prudente e responsáveis.

A provincia do Moxico controla mais de 10 operadoras de transportes públicos.

Em  2019, as empresas que prestam serviços urbanos, intermunicipal e provincial, receberam 25 autocarros, enquanto no ano seguinte, tiveram outra oferta de outros 10 autocarros.