Mulheres de Caxicane pedem monumento de Agostinho Neto

  • Manifestantes, colocam tecido na estatua do António A. Neto ,como sinal de chegada
Luanda – As mulheres da aldeia de Caxicane, em Icolo e Bengo, província de Luanda, pediram que seja erigido um monumento de Agostinho Neto na povoação, com vista a dar maior visibilidade a localidade onde nasceu o fundador da nação angolana.

As mulheres manifestaram este desejo durante o acto de entrega de bens alimentares, sabão, fertilizantes e material agrícola, realizado pela administração de Icolo e Bengo para encerrar a jornada Março Mulher.

De acordo com as camponesas, a administração local deve fazer advocacia junto do Governo para que seja erguida uma estátua de Neto, passando a ser um indicativo do local onde nasceu o primeiro presidente de Angola.

As camponesas pediram que a estátua seja idêntica a do Largo da Independência (Luanda) para que a povoação tenha maior dignidade e seja identificada de imediato pelos viajantes.

As mulheres da povoação de Caxicane lamentaram igualmente o facto de a aldeia estar privada de energia eléctrica há meses, água potável, e as vias continuarem inacessíveis, o que impede o escoamento dos produtos agrícolas.

Durante o encontro, as mulheres foram sensibilizadas sobre a importância da constituição de uma associação ou cooperativa agrícola, para poderem receber créditos e dinamizar a agricultura familiar, com possibilidades de passar para a comercial.

 

As mulheres manifestaram este desejo durante o acto de entrega de bens alimentares, sabão, fertilizantes e material agrícola, realizado pela administração de Icolo e Bengo para encerrar a jornada Março Mulher.

De acordo com as camponesas, a administração local deve fazer advocacia junto do Governo para que seja erguida uma estátua de Neto, passando a ser um indicativo do local onde nasceu o primeiro presidente de Angola.

As camponesas pediram que a estátua seja idêntica a do Largo da Independência (Luanda) para que a povoação tenha maior dignidade e seja identificada de imediato pelos viajantes.

As mulheres da povoação de Caxicane lamentaram igualmente o facto de a aldeia estar privada de energia eléctrica há meses, água potável, e as vias continuarem inacessíveis, o que impede o escoamento dos produtos agrícolas.

Durante o encontro, as mulheres foram sensibilizadas sobre a importância da constituição de uma associação ou cooperativa agrícola, para poderem receber créditos e dinamizar a agricultura familiar, com possibilidades de passar para a comercial.